Jornal do Commercio
Europa

Na beira do abismo, Itália recebe Suécia por vaga na Copa

Italianos perderam o jogo de ida por 1x0 fora de casa

Publicado em 12/11/2017, às 21h10

Buffon pode se aposentar da seleção se Itália não avançar / Foto: AFP
Buffon pode se aposentar da seleção se Itália não avançar
Foto: AFP
AFP

Superada pela Suécia no jogo de ida (1-0), a Itália está na beira do precipício e precisa superar as adversidades jogando em Milão, nesta segunda-feira, para conquistar vaga na Copa do Mundo 2018, competição que não desfalca desde 1958.

A Azzurra precisa mostrar outra cara para marcar presença no Mundial, algo que sequer era imaginado pelo técnico Giampiero Ventura: "eu sequer contemplo a ideia de não nos classificarmos. Vamos para a Rússia certamente", disse o treinador na última segunda-feira.

Mas a um dia do jogo decisivo, muitos temem que a tetracampeã mundial fique de fora da maior festa futebolística do mundo.

Só os maoires de 60 anos lembram de um Mundial sem a Itália. O país só ficou de fora de duas edições: em 1930, por recusar o convite, e em 1958, quando a Irlanda do Norte a superou na fase de classificação.

A dona dos títulos de 1934, 1938, 1982 e 2006 faria falta ao torneio. Mas como a seleção poderia se recuperar da situação de desespero, apesar de ter feito boa participação na Eurocopa em 2016 (eliminada nas quartas de final)

Superados por uma Espanha infinitamente melhor na fase de grupos, Gianluigi Buffon e seus companheiros ainda sentem a dura derrota por 3 a 0 sofrida em Madri, em setembro.

- 'Coração, determinação e tática' -
Em absoluta crise de confiança e guiada por um técnico sem experiência em alto nível, a Itália conta com poucos argumentos para consolidar as esperanças de classificação.



Um deles é a menor qualidade técnica dos suecos, que se mostraram aguerridos e organizados em Solna, mas não pareceram invencíveis. Com um pouco mais de velocidade e atrevimento, os italianos poderiam voltar da visita ao país nórdico com um resultado melhor.

Velocidade e audácia poderiam ser encarnadas por Lorenzo Insigne, ponta da Napoli que deve ser titular no sistema do treinador. Na partida de ida, Insigne começou no banco, o que deixou todos incrédulos. O atacante só entrou em campo ao substituir Marco Verratti a 15 minutos do final.

Mas além de esquemas táticos e qualidade individual, a Itália precisará mostrar uma dose extra de orgulho.

"As três palavras para levarmos em consideração são coração, determinação e táticas. Se conseguirmos juntá-las bem, as coisas serão diferentes do que foram na sexta-feira", declarou Ventura em coletiva de imprensa deste sábado.

Já Buffon, cuja imensa carreira com a seleção se encerraria na segunda-feira em caso de eliminação, resumiu: "precisamos ser ferozes. Nós e toda Itália. Estamos obrigados a fazer uma pequena proeza e precisamos do apoio das pessoas".

A resposta do estádio San Siro, onde a Itália nunca perdeu, já foi dada: mais de 70.000 torcedores empurrarão o time para que 2018 não se pareça com 1958.

FICHA DA PARTIDA - ITÁLIA X SUÉCIA

Itália: Buffon - Barzagli, Bonucci, Chiellini - Candreva, Florenzi, Jorginho, Parolo, Darmian - Immobile, Gabbiadini.

Treinador: Gian Piero Ventura

Suécia: Olsen - Lustig, Lindelof, Granqvist, Augustinsson - Claesson, Larsson, Johansson, Forsberg - Toivonen, Berg.

Treinador: Janne Andersson


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM