Jornal do Commercio
Ausência

Sem pernambucanos, Nordeste perde representatividade na Série B

Série B de 2018 será a quarta sem clubes do futebol de Pernambuco desde que o formato foi adotado, em 2006. Ausência pode afetar ranking do estado na CBF

Publicado em 07/12/2017, às 11h14

Santa Cruz e Náutico vão brigar em 2018 para voltar à Série B / Guga Matos/JC Imagem
Santa Cruz e Náutico vão brigar em 2018 para voltar à Série B
Guga Matos/JC Imagem
Heitor Nery
hnery@jc.com.br

Se na Série A o futebol nordestino tem motivos de sobra para comemorar, na Série B a situação não é tão positiva. A região terá apenas quatro representantes no torneio nacional, o menor número desde que o campeonato passou a ser disputado no modelo de pontos corridos, em 2006. E o futebol pernambucano tem parcela de culpa nisso. Será a quarta vez nesse formato em que o Estado não terá nenhum representante na disputa da competição.

Nas outras três vezes, no entanto, a situação do futebol pernambucano estava melhor posicionada na pirâmide do futebol brasileiro. Nos três anos anteriores em que não tinha times na Segundona (2008, 2009 e 2012), o Pernambuco estava representado com duas equipes na Primeira Divisão. Contudo, com o rebaixamento de Náutico e Santa Cruz na Série B, o Estado terá três representantes na Série C, com a dupla de Recife se juntando ao Salgueiro na disputa da Terceira Divisão.



A diminuição do número de times pode representar algumas preocupações para o Ranking de Federações da Confederação Brasileira de Futebol. Atualmente, Pernambuco está na sétima colocação do ranking, com 23.896 pontos, 3.913 na frente de Goiás (o 8º) e 6.470 na frente da Bahia (9º). Todavia, para o presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, o ranking ainda não é uma preocupação imediata.

“Já projetamos isso. Como o ranking computa os últimos cinco anos, nós temos algumas temporadas de vantagem em relação à Bahia pela nossa participação na Primeira Divisão. Fora a gordura que acumulamos. Então estamos com uma boa distância na frente", declarou o dirigente. No entanto, caso a perspectiva atual se mantenha, é bom os clubes locais abrirem o olho com relação ao desempenho nos torneios nacionais.

Confira o "Mapa da Bola" do futebol brasileiro em 2018:


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM