Jornal do Commercio
copa do mundo

Luizão acredita em hexa na Copa, mas pede menos firula de Neymar

Ex-atacante campeão da copa de 2002, Luizão acredita que seleção brasileira pode vencer a Copa do Mundo, mas chama a atenção para responsabilidade de maturidade de Neymar

Publicado em 12/01/2018, às 13h43

Luizão pede menos firula de Neymar / CBF/Divulgação
Luizão pede menos firula de Neymar
CBF/Divulgação
JC Online

O ex-atacante campeão do mundo de 2002, Luizão acredita que o Brasil pode conquistar o hexacampeonato na Copa do Mundo da Rússia com uma condição: que Neymar seja mais solidário e jogue para o time. Ele revelou sua opinião durante entrevista ao programado No Ar com André Henning. 



RESPONSABILIDADE DE NEYMAR

"Temos um jogador que pode fazer diferença, mas ele precisa entender que precisa do resto do time. Falta isso", argumentou o ex-jogador, que continuou. "Eu acredito muito que a seleção conquista o título esse ano, mas vai depender muito da cabeça de Neymar. Precisamos dele, mas ele precisa entender que também precisa do time. Tem que fazer menos firula", completou. 

 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM