Jornal do Commercio
Gancho

Afastado da CBF, Del Nero tem suspensão ampliada em 45 dias pela Fifa

Del Nero ainda pode levar o caso à Corte Arbitral do Esporte se for finalmente condenado, assim como fizeram Joseph Blatter, Michel Platini e Jerome Valcke

Publicado em 14/03/2018, às 11h27

Del Nero foi indiciado nos Estados Unidos ainda em 2015 por corrupção e crime organizado / Foto: AFP
Del Nero foi indiciado nos Estados Unidos ainda em 2015 por corrupção e crime organizado
Foto: AFP
Estadão Conteúdo

Marco Polo Del Nero continuará sem saber seu destino por mais 45 dias. A Fifa já informou ao cartola que optou por ampliar a suspensão provisória que havia sido aplicada a ele desde dezembro por mais um mês e meio, na esperança de conseguir até lá completar as investigações sobre o brasileiro.

Del Nero ainda pode levar o caso à Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) se for finalmente condenado, assim como fizeram Joseph Blatter, Michel Platini e Jerome Valcke. Todos, porém, foram derrotados ao acionarem o máximo tribunal esportivo mundial.

Mesmo com a extensão da suspensão provisória, Del Nero manobrou as eleições na CBF para que seus aliados se mantivessem no poder. A mesma estratégia já havia sido adotada por Ricardo Teixeira, quando deixou o comando da entidade brasileira em 2012 e escolheu a dedo os seus sucessores.

Del Nero foi indiciado nos Estados Unidos ainda em 2015 por corrupção e crime organizado. Mas se manteve no comando da CBF, evitando viajar ao exterior para não ser preso e extraditado aos EUA. Durante o julgamento de José Maria Marin em dezembro de 2017, Del Nero foi acusado de ter recebido US$ 6,5 milhões (cerca de R$ 21,1 milhões pela cotação atual) em propinas, em troca de contratos comerciais com a CBF.

A Fifa, durante dois anos, não agiu em relação a Del Nero, alegando que não tinha provas suficientes para o punir. Mas o brasileiro acabou suspenso temporariamente em dezembro, quando os documentos do FBI foram tornados públicos. Desde então, a entidade passou a investigar o cartola e agora chegou à constatação, às vésperas do final do prazo de suspensão, de que precisa continuar a apuração.



Isso significa que ele não pode nem entrar na CBF para eventos sociais, não pode presidir clubes de futebol e nem fazer parte de organização de torneios por mais 45 dias.

Interrogatório

Del Nero chegou a ser interrogado pela Fifa, por meio de uma vídeo conferência. Cada um dos detalhes apresentados na corte norte-americana contra Del Nero foi questionado, entre eles os acordos com José Maria Marin para repartir o dinheiro. Numa das evidências, os investigadores apontaram como Del Nero herdou a propina que, até 2012, era paga a Ricardo Teixeira. Porém, o montante de US$ 600 mil foi aumentado para um total de US$ 1,2 milhão.

Entre outros argumentos, Del Nero alegou que não esteve na reunião no Paraguai citada por testemunhas em que subornos foram supostamente negociados em relação a contratos de TV para torneios sul-americanos.

Em Nova York, durante o julgamento de dirigentes de peso do futebol em dezembro, o empresário argentino Alejandro Burzaco revelou na condição de testemunha que foi em outubro de 2014 ao Paraguai. La, negociou propinas com Del Nero e com o ex-presidente da Conmebol Juan Napout.

Mas, na esperança de reverter a decisão, Del Nero tentou provar com documentos de imigração que não viajou ao Paraguai para o suposto encontro citado por Burzaco, chefe de uma das empresas que pagava a propina em troca de contratos de TV.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM