Jornal do Commercio
Votação

Arena Pernambuco será a nova casa do Náutico

Conselho Deliberativo alvirrubro aprova o negócio

Publicado em 10/10/2011, às 22h45

Arena está sendo construída em São Lourenço da Mata / Foto: Guga Matos/JC Imagem

Arena está sendo construída em São Lourenço da Mata

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Do JC Online

O Náutico vai para uma casa nova. O Conselho Deliberativo aprovou, nesta segunda-feira (10/10), em reunião extraordinária nos Aflitos, utilização da Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata, a partir de julho de 2013. Em 2043, quando o acordo expira, há a possibilidade de renovação. A assinatura do contrato vai ocorrer na próxima semana, em dia ainda a ser definido.

Um aporte financeiro de 1,5 milhão vai ser pago ao Náutico no momento do acerto. Até julho de 2013, quando começará a jogar no estádio, o Timbu vai receber uma compensação de R$ 350 mil, se estiver na Série B, e 500 mil, caso esteja na elite do futebol nacional.

Finalizada a reunião, a satisfação estampava o rosto da maioria absoluta dos conselheiros alvirrubros. Não à toa. Dos 86 votos só dois colocaram-se contra a proposta de adesão. “É difícil aceitar, mas a realidade é que não tínhamos mais para onde crescer com os Aflitos. Fico com o coração na mão. Mas achei muito bom para o clube e para o torcedor”, afirmou o ex-presidente do clube João Guerra.

Os valores que o Náutico vai receber do consórcio da Arena Pernambuco, administrado pela Odebrecht e AEG, foram calculados com base na média do faturamento mensal do clube em 2009. Além dessa compensação, a empreiteira assumiu o compromisso de construir um hotel e mais dois campos no Centro de Treinamentos da Guabiraba. Na arena, os sócios do clube e os donos de cadeiras cativas terão os mesmos direitos observados nos Aflitos.

O consórcio da Arena vai ter a função de gerir o estádio e, após 2013, o Náutico vai ter a obrigação de jogar, no mínimo, 33 vezes por ano na praça esportiva que receberá a Copa do Mundo de 2014. “O Náutico está se modernizando. Há dois anos, a gente vinha negociando. Fizemos as coisas com calma e transparência. A prova disso foi o resultado”, destacou o advogado Ivan Rocha, que fez parte da comissão que negociou o contrato.




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM