Jornal do Commercio
Náutico

Timbu é atropelado pelo Fortaleza

No Presidente Vargas, em Fortaleza, o Náutico caiu por 4x0 pela primeira partida entre os nordestinos pela Copa do Brasil

Publicado em 12/04/2012, às 23h01

Do JC Online

O Náutico foi uma presa fácil do Fortaleza, nesta quinta-feira, no Estádio Presidente Vargas, na capital cearense, no primeiro encontro entre os adversários nordestinos pela Copa do Brasil. Com direito a “olé” e, novamente, mostrando sérias dificuldades para jogar futebol, o Timbu foi goleado por 4x0. Na gíria do futebol, foi atropelado. Não fosse o goleiro Gideão, a coisa poderia ter sido pior. No confronto da volta, na próxima semana, nos Aflitos, o Timbu tem de ganhar, levando em consideração a conta mais simples, por 5x0. Com a derrota vexatória, a pressão aumenta, e o anúncio do novo técnico deve ser acelerado. O nome de Alexandre Gallo está bem forte entre os diretores.

Esqueça o discurso que falava sobre “felicidade de jogar” e “partida para mudar a fase”. No PV, parecia que os alvirrubros haviam esquecido as entrevistas do período “pré-Fortaleza”. Com um início avassalador dos cearenses, o Náutico só viu o Fortaleza jogar. De frente a uma marcação descompactada, os cearenses aproveitavam para tocar a bola. Era na troca de passes que conseguiam envolver os timbus de forma desconcertante.

Ao conquistar a bola, o Náutico mostrou os mesmos erros de sempre. O meia Eduardo Ramos não fluía, o atacante Siloé estava sempre sozinho na frente e Dorielton, o homem que deveria ser mais agudo, incisivo, era peça meramente ilustrativa. Não podia deixar de ser, o gol do Fortaleza parecia uma questão de tempo. E foi.

Aos 15 minutos, Rafinha recebeu na área. Teve tempo de parar, girar e tocar por cima de Gideão. Três minutos depois, Cleo acertou a trave, a bola subiu, e Jailson, ex-Santa Cruz e Sport, entrou com tudo, de cabeça: 2x0. Com o placar favorável, o Fortaleza se retraiu, e o Náutico passou a atacar mais. No seu melhor lance, fez um gol com Dorielton, mas o assistente marcou impedimento. Antes, os alvirrubros reclamaram um pênalti. E só.

O Náutico voltou mais animado. Com a velocidade de Siloé, procurou abrir os espaços. O Fortaleza aceitou de vez a tática de ficar na espera por um erro dos alvirrubros para tentar definir o encontro. A partida ficou perigosa para o Timbu, que tinha a necessidade vital de ir para cima e marcar, pelo menos, um gol e decidir o encontro nos Aflitos.
O problema era a pouca efetividade dos pernambucanos. Tanto que mesmo melhores, foram do Fortaleza, com Cleo e Wesley, as melhores chances. O goleiro Gideão fez ótimas intervenções.

Os cearenses tanto tentaram, que fizeram. Jailson recebeu na área e foi derrubado por Jefferson: pênalti. Geraldo cobrou com categoria, aos 23, e fez 3x0. Logo depois, Marlon recuou uma bola errada, Cleo tocou para vencer Gideão e festejar. Os 10 minutos finais mostraram um Fortaleza senhor total das ações e um Náutico amedrontado. Todo atrás, para evitar o quinto gol. Pelo menos, isso os alvirrubros conseguiram.

OUTROS JOGOS
Também ontem, pelos jogos da volta, Atlético-PR 5x1 Criciúma e Portuguesa 4x0 Juventude. Assim, o Furacão e a Lusa estão classificados às oitavas do torneio.




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM