Jornal do Commercio
META

Náutico: Dado Cavalcanti quer conquistar título em casa

Pernambucano de Arcoverde, o treinador alvirrubro busca primeira conquista em seu Estado

Publicado em 08/01/2017, às 08h13

Dado Cavalcanti vai comandar o Náutico na temporada 2017 / Foto: JC Imagem
Dado Cavalcanti vai comandar o Náutico na temporada 2017
Foto: JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

O Campeonato Pernambucano está longe de ser uma competição qualquer para Dado Cavalcanti. Natural de Arcoverde, Sertão do Estado, o treinador cresceu assistindo aos jogos do Estadual. Além disso, jogou o torneio pelas categorias de base de Náutico e Santa Cruz. Essa relação tão próxima faz com que o técnico, de apenas 35 anos, olhe com carinho para o certame, já que espera tirar o Timbu da fila de títulos e, de quebra, ser campeão pela primeira vez como treinador profissional em sua terra.

“Pra mim, a disputa do Pernambucano é diferente pelo fato de eu ter iniciado a minha vida desportiva aqui e por conhecer todos os times que disputam o campeonato. Isso traz um apego pessoal muito grande pela competição. Como pernambucano valorizo muito essa oportunidade que estou tendo de iniciar o campeonato por um grande clube como o Náutico. Então, o meu pensamento é de valorizar ao máximo a competição e ir em busca do título”, revelou Dado.

Assim como em outros Estaduais disputados no Nordeste, o treinador timbu destacou a peculiaridade das partidas realizadas em campos nordestinos. “Sem dúvida que o que diferencia é o apelo popular que é muito grande. A paixão pelo futebol e a rivalidade local são extremamente valorizados. Isso por si só faz com que o Pernambucano tenha um atrativo maior”, falou.

COBRANÇA

Em relação ao fato de ter nascido em Pernambuco e comandar uma equipe local, Dado Cavalcanti tem total consciência de que a pressão em cima do seu trabalho acaba aumentando, mas que está disposto a provar que santo de casa também faz milagre. “Talvez seja maior sim pelo fato de ter muitos amigos aqui, pessoas próximas, além de meus próprios familiares que são pernambucanos. Então, a cobrança que vem em cima de mim já começa dentro de casa. Porém, as pessoas que convivem comigo já se acostumaram um pouco a conviver com essa situação e isso a gente tira de letra”, contou o treinador alvirrubro.

Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM