Jornal do Commercio
PERNAMBUCO

Páscoa diz que volta ao Recife foi importante para acerto com Náutico

Zagueiro garante que já está bastante familiarizado com a capital pernambucana

Publicado em 11/01/2017, às 14h48

Éwerton Páscoa está ansioso para estreia pelo Naútico / Foto: Diego Nigro/ JC Imagem
Éwerton Páscoa está ansioso para estreia pelo Naútico
Foto: Diego Nigro/ JC Imagem
Davi Saboya
Blog do Torcedor

A lembrança do Recife que o zagueiro Éwerton Páscoa tem é positiva. Campeão Pernambucano e da Copa do Nordeste pelo Sport em 2014, o jogador não pensou duas vezes quando surgiu a possibilidade de voltar para cidade em que passou dois anos com a família quando atuava pelo Sport. Segundo o defensor, um fator determinante para o acerto com o Náutico. Na visão dele, o retorno acontece em um momento de mais maturidade.

“Meu filho nasceu no Recife. Conheço tudo aqui na cidade. Falo para os meus amigos que me sinto mais em casa no Recife do que em São Paulo, minha cidade. Ainda não estou velho. Vivo um momento de transição. Então é uma fase que procuro ajudar sempre os mais novos. Mesmo sabendo que neste início de ano todos têm que chamar a responsabilidade. Sei qual é a minha e sei o que esperam de mim e quero corresponder”, afirmou Páscoa.

SUPERAÇÃO

Em 2015, o novo zagueiro do Náutico passou por momentos particulares difíceis e teve uma queda de rendimento, que ocasionou a sua saída do time titular. Para o jogador, um deslize, mas que agora pelo Timbu, ele não encara como uma resposta há baixa temporada que teve na última passagem pelo Recife.

“Tive um ano de 2014 que foi unanimidade. Em 2015 não comecei bem, mas existem algumas questões particulares que o atleta precisa ter a cabeça boa para poder fazer o melhor. Nesse período tive um complicado lá em casa. Minha esposa estava com uma gravidez de risco e acabamos perdendo o filho, mas isso o torcedor não quer saber. Mas tive maturidade, sair, recuperei a minha boa forma. O que passou são águas passadas e estou no Náutico para responder ou provar algo”, finalizou o zagueiro.

Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM