Jornal do Commercio
Avirrubro

Parceria entre Milton Cruz e Ivan Izzo tem ajudado a recuperar o futebol do Náutico

Ex-goleiro é o assistente técnico do Timbu e braço direito do comandante alvirrubro

Publicado em 20/03/2017, às 09h30

Todos os passos no Timbu foram planejados por Milton Criz e Ivan Izzo, juntamente com o restante da comissão / Clauber Santana / Comunicação CNC
Todos os passos no Timbu foram planejados por Milton Criz e Ivan Izzo, juntamente com o restante da comissão
Clauber Santana / Comunicação CNC
LUANA PONSONI

Nos últimos 30 dias, o torcedor do Náutico se acostumou em ver Milton Cruz à beira do campo comandando o time em jogos, treinos e dando entrevistas coletivas. Mas há outro profissional que vem ajudando na recuperação da equipe alvirrubra: Ivan Izzo. O assistente técnico trazido por Milton para trabalhar no clube foi goleiro do Palmeiras nas década de 1980 e 1990, sendo o braço direito do treinador. Todos os passos dados desde que chegaram ao Timbu foram planejados pelos dois juntamente com o restante da comissão.

Ivan Izzo tem a responsabilidade de comandar treinos, conversar com os jogadores e os outros profissionais do clube. “A gente conversa bastante. Sempre no início da semana já temos tudo programado, o que vamos realizar no dia a dia. O Milton é uma pessoa extremamente aberta, me dá liberdade de atuação e isso é muito bom, essa troca e parceria é importante. Acho que assim é o correto a se fazer. Faz com que a gente se sinta à vontade e o grupo de atletas também enxerga dessa maneira, faz com que o ritmo de trabalho seja muito bom”, destacou Izzo.

EXPERIÊNCIA

Como jogador, o assistente técnico de Milton Cruz iniciou a carreira no Palmeiras e passou também por Paysandu, Sport, Paraná, Atlético-PR, Portuguesa Santista, Bragantino, Paulista-SP, Santo André-SP e Figueirense. Foi auxiliar técnico de Dorival Júnior no Fortaleza, Sport, São Caetano, Cruzeiro, Coritiba, Santos, Atlético-MG, Vasco e Internacional. E também comandou o Santo André, onde conquistou o título da Copa Paulista em 2014.

“É uma vida dedicada ao futebol, assim como o Milton Cruz. Comecei a jogar aos 13 anos, hoje estou com 51. Tenho todo este tempo com vivência de vestiário como atleta, auxiliar e treinador em alguns momentos. Então, essa troca de experiências serviu como aprendizado e abre o nosso campo de visão”, resumiu. 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM