Jornal do Commercio
PRESSÃO

Anselmo minimiza a pressão em cima do Náutico

O centroavante, de 36 anos, está acostumado a disputar grandes decisões

Publicado em 20/04/2017, às 11h26

Anselmo marcou um dos gols do Náutico na derrota para o Sport / Foto: JC Imagem
Anselmo marcou um dos gols do Náutico na derrota para o Sport
Foto: JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

Já se passaram 13 anos da última conquista do Náutico. A cada mata-mata que o Timbu chega, só aumenta a pressão para o término do jejum do clube. Só nessa temporada, a equipe alvirrubra ficou pelo caminho em duas competições: Copa do Brasil e Copa do Nordeste. No próximo domingo (23), contra o Sport, às 16h, na Arena de Pernambuco, pela semifinal do Pernambucano, mais uma decisão pela frente.

Apesar de toda essa expectativa, o experiente Anselmo encara com naturalidade o clássico decisivo. "Pressão existe de toda forma. Não vem só do torcedor, mas de todos os lados. Temos uma grande equipe pela frente e que é bastante qualificada. Mas temos consciência de que também temos qualidade. Independente da pressão do torcedor, da mídia, sabemos o que temos de fazer. Temos de trabalhar forte e executar no domingo", falou.



DISPOSIÇÃO

Acostumado a grandes partidas, Anselmo sabe que em confrontos como esse é fundamental a concentração para, quem sabe, decidir o duelo no detalhe. "Vamos lutar porque o jogo está em aberto. É um confronto de 180 minutos e ainda restam mais 90 para disputar. Temos total condição de fazer o placar e avançar à final. Vamos trabalhar bastante para minimizar os nossos erros, fortalecer a equipe e aproveitar os momentos", disse Anselmo.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM