Jornal do Commercio
OFENSIVIDADE

Náutico estuda mudança de postura para encarar o Sport

Timbu precisa vencer de um gol por diferença para levar decisão para os pênaltis e dois para se classificar

Publicado em 20/04/2017, às 06h41

Náutico precisa ser mais agressivo para reverter a vantagem do Sport / Foto: JC Imagem
Náutico precisa ser mais agressivo para reverter a vantagem do Sport
Foto: JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

Mudança. Se quiser avançar à final do Campeonato Pernambucano, os jogadores alvirrubros estão cientes de que precisam fazer tudo diferente do que foi apresentado na primeira semifinal diante do Sport, na Ilha do Retiro.

"Precisamos ter uma postura muito diferente da que tivemos no jogo passado. Temos de ser mais ofensivos e agressivos no ataque porque precisamos do resultado. Também é necessário errar menos, porque acabamos pagando pelos nossos erros”, disparou Anselmo.

 

Uma das principais queixas do centroavante de 36 anos após a derrota do último domingo foi de que a bola simplesmente não chegou ao ataque. Com isso, o goleiro Magrão acabou sendo pouco exigido ao longo da partida. “Agredimos pouco o Sport. E, nessa partida, isso tem de acontecer. Os laterais precisam chegar mais, os meias também, e os volantes têm de chegar também. Eles têm uma pequena vantagem, mas vamos em busca do resultado”, garantiu o camisa 9 do Náutico.



Para Anselmo, o fato de o Sport ter poupado quatro titulares (Rithely, Diego Souza, Rogério e André) do confronto de ontem, pela Copa do Brasil, mostra que os rubro-negros estão priorizando o Estadual, ao contrário do que foi falado no início da temporada. “Muito de fala que os estaduais não servem de nada, mas quando se perde é cobrado. Eles pouparam os principais jogadores do time para jogar com a gente com a força máxima. Isso mostra respeito pela competição e por nós”, comentou o centroavante.

Sobre a polêmica da arbitragem após os erros no primeiro clássico, Anselmo preferiu não se meter quanto a escolha do árbitro que vai apitar na Arena de Pernambuco. “Nas nossas preleções sempre nos passam as características dos árbitros, as competições e os jogos que ele apitou, mas confesso que meu foco é nos treinamentos. Não ligo muito para arbitragem. Só espero que quem apitar procure ser imparcial”, desejou.

DÚVIDA

O volante Rodrigo Souza ainda não tem a sua presença confirmada para o próximo domingo. Isso porque o cabeça de área alvirrubro deixou a última partida sentindo dores na panturrilha direita, foi submetido a exame de imagem, e aguarda pelo resultado para saber a gravidade da lesão.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por PEDRO NAUTICO ,20/04/2017

ESSE RODRIGO SOUZA É O NEGÃO MAIS MOLE QUE JÁ VI. NUNCA VI SE QUEBRAR TANTO. TEM MAIS PREJUÍZO QUE LUCRO NO NÁUTICO.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM