Jornal do Commercio
SÉRIE B

Atletas do Náutico ficam satisfeitos com o empate contra o América-MG

Timbu entrou em campo com uma equipe completamente desentrosada devido as saídas de cinco titulares

Publicado em 13/05/2017, às 00h09

Waldemar Lemos teve de recorrer a 12 pratas da casa contra o América-MG / Foto: JC Imagem
Waldemar Lemos teve de recorrer a 12 pratas da casa contra o América-MG
Foto: JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

 Mesmo o resultado da estreia na Série B não sendo uma vitória, os jogadores do Náutico saíram satisfeitos com o empate diante do América-MG. Não pelas  circunstâncias da partida, mas devido ao contexto que o Timbu esteve envolvido nos últimos dias - perdas de vários atletas importantes e de ter entrado com uma equipe cheia de pratas da casa e sem entrosamento.

"A gente sabia que seria difícil, pois reformulamos muito o time para esse jogo. Muitas coisas aconteceram dentro do Náutico, mas agora é seguir em frente e trabalhar no nosso objetivo que é subir", falou o volante João Ananias.

Já o outro cabeça de área alvirrubro, Darlan, reconheceu que se faltou um futebol mais vistoso, não faltou dedicação em campo. "Não foi uma partida de muita técnica, mas de muita vontade. Apesar da dificuldade que encontramos, saímos de campo com a cabeça erguida, pois entramos com a intenção de ganhar. A vitória não veio, mas o empate está de bom tamanho", falou.



AVALIAÇÃO

O mais experiente jogador timbu em campo, Tiago Alves avaliou a estreia do Náutico. "Foi um jogo de muita transpiração e de pouca inspiração. Defendemos bem, mas atacamos pouco. Tivemos muitos jogadores que estavam disputando o seu primeiro jogo em brasileiro. O professor Waldemar só teve três dias para treinar e ainda tem muita coisa para passar de sua filosofia para encaixar o time", contou o zagueiro.

Sobre o futuro da equipe alvirrubra, o camisa 3 acredita que o Náutico terá de se readaptar. "Sofremos por conta da reformulação. Perdemos e lamentamos a saída de nossos amigos, mas agora teremos de nos reinventar e o espelho para isso foi esse jogo", explicou.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM