Jornal do Commercio
CLÁSSICO

Técnico quer evolução do ataque do Náutico para vencer o Santa Cruz

Esse será o sexto Clássico das Emoções da temporada 2017. Ainda terão mais dois, pela Série B

Publicado em 15/05/2017, às 07h06

O atacante Erick não foi bem contra o América-MG e acabou sendo sacado por Waldemar Lemos / Foto: JC Imagem
O atacante Erick não foi bem contra o América-MG e acabou sendo sacado por Waldemar Lemos
Foto: JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

Os sete desfalques que o Náutico teve diante do América-MG (Dudu, Marco Antônio, Anselmo, Giovanni, Maylson, Éwerton Páscoa e Adalberto), na estreia da Série B, não afetaram tanto a equipe alvirrubra defensivamente. A prova disso foi que o Timbu não sofreu muitos apuros e deixou o campo sem ser vazado. Porém, o mesmo não é possível afirmar em relação ao setor ofensivo, que sentiu bastante a ausência dos atletas que vinham sendo titulares e acabaram deixando o clube.

 

Sem muito tempo para lamentar, o técnico Waldemar Lemos terá de corrigir essa dificuldade que os seus comandados encontraram diante dos mineiros, na última sexta-feira, na base da conversa. Isso porque o Náutico já tem pela frente, amanhã, o clássico diante do Santa Cruz, no Arruda, e precisa de gols para assegurar a 3ª colocação do Pernambucano e garantir vaga no Pré-Nordestão. Uma vitória por um gol de diferença, a decisão será nos pênaltis; por dois, o Timbu disputa a classificatória para o Regional de 2018.



“Sentimos falta dos atletas que saíram porque o Waldemar (Lemos) só teve três dias de trabalho. Por isso, ele montou uma equipe forte na marcação porque sabia que se não tomasse gol, não perderia na sua estreia. Mas claro que precisamos melhorar a parte ofensiva, trabalhar a bola, coisa que faltou nesse jogo. Teremos pouco tempo para treinar para essa partida contra o Santa Cruz, mas precisamos escutar o professor e buscar colocar o que ele nos passar em campo”, alertou o volante João Ananias.

RECEITA

A vitória contra o rival tricolor significa uma fonte de renda para o Náutico em 2018. “O terceiro lugar é importante para o clube porque já garante uma receita para o ano que vem. Estamos passando por dificuldades, mas em campo temos de esquecer tudo e pensar em jogar bola”, disse Ananias.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM