Jornal do Commercio
NOVA FUNÇÃO

Náutico: Waldemar Lemos vai exigir que Erick também ajude na marcação

O atacante alvirrubro não estava acostumado a recompor tanto sob o comando de Dado Cavalcanti e Milton Cruz

Publicado em 16/05/2017, às 07h06

Além de chegar ao ataque, Erick terá de ajudar o time na recomposição defensiva / Foto: JC Imagem
Além de chegar ao ataque, Erick terá de ajudar o time na recomposição defensiva
Foto: JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

 O atacante Erick não é o principal destaque do Náutico na temporada à toa. Afinal, o prata da casa, de 19 anos, é o artilheiro do time no ano com sete gols e o jogador que mais enche os olhos dos torcedores alvirrubros de esperança de dias melhores. Com as saídas dos experientes Marco Antônio, Dudu, Giovanni e Éwerton Páscoa, nomes que serviam de escudo para proteger o garoto da pressão e da responsabilidade de carregar o Timbu, o camisa 33 terá de se acostumar a ser protagonista.

 

Se sob o comando de Dado Cavalcanti e Milton Cruz, o atacante Erick não tinha tanta obrigação de marcar, com a chegada de Waldemar Lemos é bem diferente. O treinador, de 62 anos, quer que todos ajudem não somente na hora de recompor, mas também para apertar o adversário e dar o bote. Essa nova função, a princípio, acabou afetando no rendimento do garoto, que diante do América-MG acabou sendo substituído com apenas 10 minutos do segundo tempo por sentir cansaço físico.



Apesar do desgaste apresentado em campo, nem passou pela cabeça de Waldemar em privilegiar a joia alvirrubra e isentá-lo de marcar junto com o restante do time. "Ele precisa se acostumar a isso. Futebol não é só ataque. É preciso ter uma preocupação defensiva também", disparou o treinador, que fez questão de enfatisar que não vai deixar o talento do garoto de lado. "Não podemos abrir mão da qualidade que ele tem, pois sempre nos cria possibilidades ofensivas. Mas ele precisa entender a responsabilidade que tem em campo e isso talvez leve um tempo", comentou Lemos.

FORÇA FÍSICA

Sobre o biotipo franzino de Erick, Waldemar lembrou que será preciso ele aprimorar o condicionamento físico e, quem sabe, encorpar mais para suportar a maratona de jogos. "A exigência da parte física será grande. Ele precisa participar do jogo de outras formas quando estiver em campo para ajudar o time e, pra isso, vai depender do físico", falou.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM