Jornal do Commercio
NOVA FUNÇÃO

Náutico: Waldemar Lemos vai exigir que Erick também ajude na marcação

O atacante alvirrubro não estava acostumado a recompor tanto sob o comando de Dado Cavalcanti e Milton Cruz

Publicado em 16/05/2017, às 07h06

Além de chegar ao ataque, Erick terá de ajudar o time na recomposição defensiva / Foto: JC Imagem
Além de chegar ao ataque, Erick terá de ajudar o time na recomposição defensiva
Foto: JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

 O atacante Erick não é o principal destaque do Náutico na temporada à toa. Afinal, o prata da casa, de 19 anos, é o artilheiro do time no ano com sete gols e o jogador que mais enche os olhos dos torcedores alvirrubros de esperança de dias melhores. Com as saídas dos experientes Marco Antônio, Dudu, Giovanni e Éwerton Páscoa, nomes que serviam de escudo para proteger o garoto da pressão e da responsabilidade de carregar o Timbu, o camisa 33 terá de se acostumar a ser protagonista.

 

Se sob o comando de Dado Cavalcanti e Milton Cruz, o atacante Erick não tinha tanta obrigação de marcar, com a chegada de Waldemar Lemos é bem diferente. O treinador, de 62 anos, quer que todos ajudem não somente na hora de recompor, mas também para apertar o adversário e dar o bote. Essa nova função, a princípio, acabou afetando no rendimento do garoto, que diante do América-MG acabou sendo substituído com apenas 10 minutos do segundo tempo por sentir cansaço físico.



Apesar do desgaste apresentado em campo, nem passou pela cabeça de Waldemar em privilegiar a joia alvirrubra e isentá-lo de marcar junto com o restante do time. "Ele precisa se acostumar a isso. Futebol não é só ataque. É preciso ter uma preocupação defensiva também", disparou o treinador, que fez questão de enfatisar que não vai deixar o talento do garoto de lado. "Não podemos abrir mão da qualidade que ele tem, pois sempre nos cria possibilidades ofensivas. Mas ele precisa entender a responsabilidade que tem em campo e isso talvez leve um tempo", comentou Lemos.

FORÇA FÍSICA

Sobre o biotipo franzino de Erick, Waldemar lembrou que será preciso ele aprimorar o condicionamento físico e, quem sabe, encorpar mais para suportar a maratona de jogos. "A exigência da parte física será grande. Ele precisa participar do jogo de outras formas quando estiver em campo para ajudar o time e, pra isso, vai depender do físico", falou.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM