Jornal do Commercio
Série B

Náutico quer se aproveitar de retrospecto ruim do Figueirense em casa

Time catarinense vem oscilando bastante no Orlando Scarpelli

Publicado em 19/05/2017, às 09h11

Revelado pelo Náutico, hoje Jorge Henrique é a referência do Figueira / Foto: Luiz Henrique / Figueirense
Revelado pelo Náutico, hoje Jorge Henrique é a referência do Figueira
Foto: Luiz Henrique / Figueirense
Matheus Silva
Especial para o JC

Adversário do Náutico na segunda rodada da Série B, o Figueirense vem de uma boa vitória fora de casa diante do Goiás na estreia da competição. No entanto, quando o assunto é jogar em casa o time catarinense não tem apresentado um bom retrospecto este ano e já está há cinco jogos sem vencer no Orlando Scarpelli.

Em onze jogos no ano, o time venceu apenas três vezes, empatou outras quatro e foi derrotado em cinco jogos. Números abaixo do esperado e que foram suficiente para a equipe não chegar na decisão do Estadual. No lado alvirrubro a pressão é para acabar com o jejum de vitórias e espantar a má fase.

 

O técnico Waldermar Lemos não quer se basear neste retrospecto ruim e está confiante para o jogo. Ele disse ter informações importantes do adversário catarinense. "O Figueirense é um time rápido. Do pouco que sabemos, os jogadores que foram contratados e os que já estavam lá possuem muita velocidade. Mas precisamos olhar primeiro para a nossa casa para depois olhar para o adversário. Pensamos em montar algo forte do nosso aspecto também. As mudanças no time não param e a evolução tem sempre de acontecer", disse o comandante.

VELHOS CONHECIDOS

O Figueirense conta com um elenco experiente e cheio de caras conhecidas do torcedor pernambucano, especialmente o do próprio Náutico. A referência da equipe é o meia-atacante Jorge Henrique, 35 anos, revelado pelo Timbu no início dos anos 2000.

Além de Jorge o Figueira conta com outros nomes que já atuaram no Timbu - Marquinhos (zagueiro) e Josa (volante). O meia Clebson, ex-Salgueiro, o volante Zé Antonio e o atacante Zé Love (ambos ex-sport) também estão no Figueira. Porém, Zé Love  segue se recuperando de lesão e não vai para o jogo.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM