Jornal do Commercio
INSPIRAÇÃO

Treinador se inspira no ABC para livrar o Náutico do rebaixamento

Roberto Fernandes conseguiu salvar o time potiguar em 2013 numa situação bem semelhante ao do Timbu

Publicado em 10/08/2017, às 18h04

Roberto Fernandes quer o Náutico fazendo valer o mando de campo nessa Série B / Foto: JC Imagem
Roberto Fernandes quer o Náutico fazendo valer o mando de campo nessa Série B
Foto: JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

 Na temporada 2013, o técnico Roberto Fernandes passou por uma situação bem semelhante a que está vivendo no Náutico nessa Série B. Na ocasião, o treinador comandava a equipe do ABC, que assim como o Timbu, virou o primeiro turno na lanterna da Segundona com apenas 14 pontos conquistados. Na equipe potiguar, Roberto conseguiu livrar o rebaixamento e espera repetir o feito no clube alvirrubro. Mas, para isso, ele ressalta as diferenças e as semelhanças entre as duas situações.

"Naquela época tivemos a possibilidade, que não temos hoje, de contratação. Trouxemos no ABC uns oito a dez reforços, o que implicou na saída de jogadores que não estavam rendendo. Segundo ponto, os atletas que participaram daquela campanha deram um salto na carreira: o lateral-direito Renato, que era do Sport, foi para o Fluminense, Giovanni Augusto foi para o Corinthians, entre outros. Também temos hoje jogadores promissores e que querem engrenar na carreira", apontou Roberto Fernandes.

 

Ainda em sua avaliação, o comandante alvirrubro fez questão de mencionar a importância da torcida para empurrar o time dentro de campo. "Os torcedores fizeram a diferença dentro do Frasqueirão. O ABC venceu todos os times que brigavam pelo G-4: Palmeiras, Chapecoense, América-MG, todos. Então, no Frasqueirão quem mandou foi o ABC e, fora, beliscamos duas vitórias, o que foi suficiente. Temos de fazer o dever de casa e fora pontuar", declarou.

DOMINANTE

Para Fernandes é simples: time que quer brigar pelo acesso tem de vencer todas em casa e ter bom aproveitamento fora. Já que não pretende cair, basta vencer nos seus mandos de campo. "Os pontos que o ABC fez na época jogando em casa temos de implementar no Náutico e fazer prevalecer o nosso mando. É na Arena que vamos jogar e será lá que vamos ganhar ou fracassar. A queda você evita fazendo o dever de casa, já o acesso tem de vencer como mandante e como visitante", destacou Roberto.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM