Jornal do Commercio
COBRANÇA

Treinador diz que atacantes do Náutico estão mal-acostumados

Roberto Fernandes quer os jogadores se movimentando e não esperando a bola no pé

Publicado em 12/08/2017, às 10h27

Roberto Fernandes espera melhorar o desempenho do ataque do Náutico / Foto: Léo Lemos/ Náutico
Roberto Fernandes espera melhorar o desempenho do ataque do Náutico
Foto: Léo Lemos/ Náutico
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

 O Náutico tem encontrado uma enorme dificuldade para balançar as redes adversárias nessa Série B - tem o pior ataque disparado da competição com apenas 13 gols marcados. Um retrato da ineficiência ofensiva da equipe alvirrubra na Segundona é que das 20 rodadas disputadas, o Timbu passou em branco em oito delas. Dessas, acabou sendo derrotado em cinco. O máximo de gols que conseguiu fazer em uma mesma partida foram dois gols, nas derrotas por 4x2 para o Internacional e 3x2 para o Goiás.

"Não temos o pior ataque por acaso. Estamos trabalhando para dar agressividade ao time, principalmente no último terço do campo. Precisamos ser mais agressivos e jogar de forma vertical. Muitas vezes os jogadores têm optado por dar o passe para o lado e isso acaba dando a oportunidade de o adversário se recompor", disparou Roberto Fernandes.



MOVIMENTAR

Ainda segundo o treinador, os atacantes alvirrubros precisam ter uma postura mais participativa para poder aproveitar todos os espaços do campo. "Temos jogadores de velocidade, capazes de serem agressivos, mas que estão mal-acostumados. Só querem a bola no pé. É preciso aprender a jogar no ponto futuro também. Se movimentar para receber a bola mais na frente. O gol do América-MG foi assim. O jogador tocou e já passou para ter a bola mais na frente. Temos de aprender essa etapa e ao invés de driblar o adversário procurar dar o passe entre as linhas adversárias", explicou.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM