Jornal do Commercio
Timbu

Aflitos será aliado do Náutico na Série C

Alvirrubro deve voltar a jogar na antiga casa ainda no primeiro semestre de 2018

Publicado em 13/11/2017, às 08h23

Jogar nos Aflitos pode devolver ao Náutico o amplo apoio da torcida / JC Imagem
Jogar nos Aflitos pode devolver ao Náutico o amplo apoio da torcida
JC Imagem
Filipe Farias
esportes@jc.com.br

“É na dor que o amor se torna mais forte”. O pensamento do padre Pio de Pietrelcina se encaixa perfeitamente no contexto futebolístico. E a história mostra isso. Não são poucos os times que após serem rebaixados de divisão e passaram a sofrer sérios problemas financeiros, a torcida chegou junto e carregou o time na caminhada rumo ao acesso: Fortaleza, nos oito anos de peregrinação na Série C, CSA e Sampaio Corrêa, também na Terceira Divisão, Santa Cruz quando chegou a bater na Série D e colocou média superior a 30 mil, e até mesmo o Corinthians, na queda para a Segundona, em 2008. Com tantos exemplos para se inspirar, o Náutico conta com o apoio do torcedor timbu na reconstrução do clube. O primeiro passo para isso: a volta aos Aflitos.

Com o retorno ao Eládio de Barros Carvalho previsto para abril de 2018, seria possível fazer do estádio um caldeirão para impulsionar o time na luta para retornar à Série B. “Cair para a Série C não é o fim do mundo. Tenho certeza que o fator Aflitos vai fazer a torcida abraçar o time. A nossa ideia é voltar a jogar na nossa casa em abril”, contou Luiz Filipe Figueirêdo, presidente da comissão paritária responsável pela reforma dos Aflitos.

Ainda segundo o Figueirêdo, o Náutico quer seguir a mesma estratégia de outros clubes que caíram, mas que não demoraram para se reerguer. “Não queremos ficar muito tempo na Terceira Divisão, como o Fortaleza. A intenção é trilhar os mesmos passos de Bahia e Vitória, que disputaram a Série C, mas num projeto de cinco anos chegaram à Série A. Estamos reformando o nosso estádio para que isso aconteça”, disse Luiz Filipe.



RECEITA

A presença em massa do torcedor timbu em todas as partidas do Náutico nos Aflitos vai muito além do apoio aos atletas. A média de público elevada vai representar receita para estabilizar a saúde financeira do clube numa temporada desafiadora. “A média mundial é que 25% da receita dos clubes vêm dos jogos. Quantia não das bilheterias, mas também de bares e restaurantes. O programa sócio torcedor também ficará mais forte quando tivermos a nossa casa para mandar os jogos novamente. Disputar a Série C só nos motiva a voltarmos aos Aflitos”, contou.

A última vez que o Náutico atuou no Eládio de Barros Carvalho foi em maio de 2014, quando acabou sendo derrotado por 1x0 para o Avaí, pela 8ª rodada da Série B daquele ano. Naquela época, o Timbu já jogava na Arena de Pernambuco.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Théo Sabiá,13/11/2017

Não é bom confiar na torcida, pois a nossa é reconhecidamente acomodada e covarde! A melhor pedida será montar um time minimamente competitivo e manter os salários em dia, além de fazer promoções de ingressos. Pessoalmente, jamais deixarei de ajudar meu CLUBE amado, mesmo residindo longe do estado! Em frente, TIMBAAAAA!!!

Por FERNANANDO ROCHA,13/11/2017

COMO TORCEDOR QUE AMO ESSAS CORES. COM ESSA TORCIDA LINDA. INDEPENDENTEMENTE DE SÉRIES, ESTAREMOS CONFIANTES QUE VAMOS DAR A VOLTA POR CIMA. NOS AFLITOS, NO NOSSO CALDEIRÃO. TENHO CERTEZA QUE VAMOS GALGAR MUITAS VITÓRIAS . AVANTE N-A-U-T-I-C-O. ESTAMOS JUNTOS NESSA.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM