Jornal do Commercio
SOLTOU O VERBO

Náutico: ''O elenco não gosta de Roberto Fernandes'', diz William

Centroavante, de 34 anos, criticou bastante a forma de trabalho do treinador alvirrubro

Publicado em 14/11/2017, às 18h48

Temperamento de Roberto Fernandes não agrada ao elenco do Náutico / Foto: Léo Lemos/ Náutico
Temperamento de Roberto Fernandes não agrada ao elenco do Náutico
Foto: Léo Lemos/ Náutico
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

Não é de hoje que Roberto Fernandes tem a fama de ser um treinador de temperamento difícil. Apesar de toda sua capacidade dentro de campo, muitas vezes a falta de um bom relacionamento com os atletas acaba prejudicando os seus trabalhos. E o comandante alvirrubro voltou a ser questionado em termos de gestão de grupo.

>>> Rebaixado, Náutico empata com Criciúma fora de casa
>>> Técnico do Náutico: 'Mais de um jogador que se apresentou embriagado'
>>> 'Eles que fizeram essa barca todinha aí', diz presidente eleito do Náutico

Um dos atletas contrários ao método de trabalho de Roberto Fernandes é o experiente William. Em entrevista a reportagem do Jornal do Commercio, o centroavante de 34 anos não poupou críticas ao treinador. “Eu nunca concordei e não gostava da forma de comando dele. O jeito que ele conduzia o trabalho. Não só eu, mas todos os atletas não viam respeito por parte dele”, disparou o camisa 9, deixando claro que essa insatisfação não foi só na reta final da Segundona, mas ao longo da competição.

Questionado se Roberto tinha o grupo na mão, William foi taxativo. “O elenco não gostava dele. Não dele como pessoa, porque não éramos amigos, não existia proximidade. Mas não gostávamos dele como profissional, da maneira como ele trabalhava”, comentou o centroavante alvirrubro.



Um dos funcionários do Náutico, que preferiu não ser identificado, confirmou toda a versão do jogador. “O que William falou é a mais pura verdade. Os atletas criticam bastante o temperamento difícil de Roberto Fernandes, a maneira mais dura na hora de cobrar e orientar o jogador. Ele é um bom técnico, mas deixa a desejar no relacionamento com o grupo”, declarou.

Mesmo com toda a crítica ao método de trabalho de Fernandes, o centroavante fez questão de frisar que não foi por conta desse problema específico que o Náutico foi rebaixado. “Esse não foi o motivo pelo qual caímos. Claro que atrapalhou, mas tiveram outros problemas que influenciaram mais o nosso rebaixamento”, contou.

FUTURO

Sobre a sua permanência no Náutico em 2018, William deixou claro que em nenhum momento pediu para deixar o clube. “Não falei com a diretoria ainda. A imprensa que divulgou tudo isso. Ninguém falou nada comigo”, afirmou. “Meu contrato é até o dia 25 deste mês e até lá sou funcionário do clube. É difícil permanecer porque ele (Roberto) deve renovar. Não concordo com ele e não vou ficar onde não me sinto bem”, explicou.


Recomendados para você


Comentários

Por Raphael,16/11/2017

Tem que botar pegado mesmo nesses fanfarrões cachaceiros. Roberto fez o que pode e além de entrar com a competição já em andamento, o elenco era ruim.

Por REINALDO,15/11/2017

VALEU ROBERTO, ACHO QUE VOCÊ SÓ ERROU QUANDO ACEITOU OS CAÇHACEIROS ENTTRAR NO TIME.

Por EDWIN,15/11/2017

Excelente treinador cabra macho,nordestino.tem que ser assim mesmo.jogador não manda no clube.o náutico,pertence a torcida,diretoria.tem que acabar com esta mentalidade de sempre culpar treinador pelas derrotas.vide ,a situação do Sport.quem manda no clube são os jogadores.William batoré,estar insatisfeito vá! emboraaaaaaaaaa!

Por pontes,15/11/2017

Nao só voce, um monte pode ir embora que a torcida vai adorar, voces nao querem um tecnico, voces querem um banana que passe a mao na cabeça de voces quando erram, vao a merda perna de pau.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM