Jornal do Commercio
Sem verba

Presidente do Náutico vai à Justiça desbloquear cotas da Copa do BR

Nesta terça, presidente se encaminhou a 12ª Vara da Justiça do Trabalho para conseguir a liberação deste valor

Publicado em 13/03/2018, às 12h07

Em boa fase na Copa do Brasil, o Náutico luta para eliminar o Cuiabá nesta quarta, em jogo válido pela terceira fase da competição / Foto: André Nery/Acervo JC Imagem
Em boa fase na Copa do Brasil, o Náutico luta para eliminar o Cuiabá nesta quarta, em jogo válido pela terceira fase da competição
Foto: André Nery/Acervo JC Imagem
Vinícius Barros

Em entrevista à Rádio Jornal na manhã desta terça-feira (13), o presidente do Náutico Edno Melo destacou que as cotas do Náutico referentes à Copa do Brasil estão bloqueadas na Justiça. Ele se encaminhou a 12ª Vara da Justiça do Trabalho para conseguir a liberação deste valor, a ser usado para o pagamento da folha salarial do clube.

O mandatário alvirrubro explicou que nem todo o valor fica sob posse do clube e usou como exemplo a cota de participação ganha ainda pela primeira fase do torneio. "A primeira cota foi R$ 500 mil. Você abate 5% de direito de arena que é o Sindicato dos Jogadores, 5% de INSS e 6% da Federação Pernambucana. Então já cai para 420 mil. Esse valor, a CBF deposita na 12ª Vara do Trabalho e o juiz dá o desconto para pagar os acordos dos processos trabalhistas e a gente fica com a metade (cerca de 210 mil). Muita gente escuta falar que o Náutico está nadando em dinheiro mas a realidade não é essa", ressaltou.

Recentemente, o vice-presidente Diógenes Braga defendeu esse mesmo argumento, de que menos da metade das premiações ficava com o Náutico.



Em boa fase na Copa do Brasil, o Timbu luta para eliminar o Cuiabá nesta quarta, em jogo válido pela terceira fase da competição. Até o momento, a equipe pernambucana arrecadou R$ 2,5 mi em premiações. Além dos 500 mil de participação, o alvirrubro conquistou 600 mil ao vencer o Cordino e mais R$ 1,4 mi após derrotar o Fluminense de Feira de Santana.

Cobrança

Edno aproveitou também para fazer uma cobrança aos torcedores. Na opinião dele, os alvirrubros estão em falta com o clube. "Nesse momento, a torcida está em falta com os jogadores. É um grupo aguerrido, dedicado, que está doando a vida dentro de campo. Hoje, eu não vejo um motivo para torcida não ir para campo. O ingresso a R$ 15 contra o Bahia, em um sábado, às 16h e a torcida não compareceu. A hora de chegar junto é agora. A torcida tem que entender que a gente está sem receita nenhuma, a receita é zero na série C. O torcedor tem que entender e ir a campo ajudar o clube dele nesse momento.", frisou.

Para o confronto diante do Afogados, o presidente disse que foi lançada uma promoção com ingressos a R$ 10 e estacionamento a R$ 5.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM