Jornal do Commercio
Copa do Brasil

Com vantagem do empate, Náutico visita Cuiabá em nova decisão

Timbu encara o Dourado por vaga na quarta fase da Copa do Brasil

Publicado em 14/03/2018, às 08h01

Equipe treinou no campo do Clube 
Esportivo Operário (MT) / Léo Lemos/Náutico
Equipe treinou no campo do Clube Esportivo Operário (MT)
Léo Lemos/Náutico
Diego Toscano
Twitter: @diegotoscanoo

Por vaga na quarta fase da Copa do Brasil, o Náutico visita nesta quarta (14) o Cuiabá, a partir das 21h45, na Arena Pantanal. Precisando apenas de um empate para avançar na competição nacional, o Timbu enfrentará o Dourado em um dos estádios da Copa do Mundo de 2014, mas com portões fechados. Isso porque o governo do Mato Grosso não conseguiu o laudo de vigilância sanitária e o dos Bombeiros no prazo.

“Vou ser honesto pra caramba. Em estádios como a Arena (Pantanal), que oferece segurança e conforto ao torcedor, não gosto de jogos dessa forma. Fica meio sem graça. Não foram apresentados os laudos e é absurdo porque não quero nem entrar no mérito da questão do quanto se foi gasto em Copa do Mundo no Brasil. Mas fizeram estádios gigantescos e depois você não tem o mínimo que é a manutenção deles”, criticou o técnico alvirrubro Roberto Fernandes.

Sobre a partida, o treinador acredita que o Cuiabá não irá jogar tão retrancado quanto foi no jogo de ida, no 2x1 na Arena de Pernambuco. “Acompanho bem o trabalho do Itamar (técnico adversário). Antes de propor jogo ou de ter um futebol mais vistoso, vem a garra, o espírito de guerra. Espero muito mais pressão com força e imposição. Não tenho dúvida de que vai ser um jogo muito pegado dentro de campo. Vão procurar pressionar dentro de uma organização que o Cuiabá já tem. E o Náutico tem que buscar fazer aquilo que fez nas duas fases anteriores, quando conseguiu a classificação na Copa do Brasil: também ser uma equipe aplicada e guerreira”, disse.

Apesar da vitória contra o Bahia ter sido celebrada, já que deixa o Náutico vivo na Copa do Nordeste, a postura adotada pela equipe após abrir o placar incomodou o comandante. “Suportar a pressão do Bahia foi um ponto importante, mas deixa lições de que não dá para a gente aceitar tanto a imposição do adversário”, explicou o técnico, que também confirmou que deve mudar a equipe e que não quer o time pensando no empate durante a partida.



“Deve ter alguma alteração, talvez com uma equipe mais avançada, seja em característica de jogo ou de jogador, para que a gente vá para Cuiabá não só para ver o oponente jogar. Só tem que pensar nessa vantagem do empate faltando cinco minutos para acabar. Fora disso, buscar a vitória também”, finalizou.

FICHA DE JOGO

CUIABÁ
Victor Souza; Weriton, Marcelo Xavier, Ednei e Quaresma; Magno, Jean, Weverton e Hiltinho; Bruno Alves e Jenison. Técnico: Itamar Schulle. Esquema: 4-4-2.

NÁUTICO
Bruno; Thiago Ennes, Breno Calixto, Camutanga e Kevyn; Negretti, Josa e Wendel; Wallace Pernambucano, Ortigoza e Robinho. Técnico: Roberto Fernandes. Esquema: 4-3-3.

Local: Arena Pantanal (MT). Horário: 21h45. Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG). Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira e Luiz Antonio Barbosa (ambos de MG).


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM