Jornal do Commercio
Santa Cruz

Técnico do Náutico não esconde irritação com empate no clássico

Roberto Fernandes se disse 'profundamente irritado' com o resultado e declarou que o Náutico não se torna favorito na Série C só pelo título estadual

Publicado em 16/04/2018, às 09h31

Roberto Fernandes, no entanto, reconheceu que o empate foi merecido pelo trabalho das duas equipes / Alexandre Gondim/JC Imagem
Roberto Fernandes, no entanto, reconheceu que o empate foi merecido pelo trabalho das duas equipes
Alexandre Gondim/JC Imagem
JC Online

Mesmo definindo como justo o empate no Clássico das Emoções, o técnico do Náutico, Roberto Fernandes, não escondeu a irritação com o gol tomado no final. Citando até o garoto Rafael Assis, responsável pela bola perdida que originou o contra-ataque letal do Santa Cruz.

“Não vai colocar este empate na conta de Assis não. Ele tem sua parcela. Mas futebol é um todo”, disse, no começo. Completando em seguida. “O futebol vai evoluindo, mas tem máximas que vai durar mais cem anos. E uma delas é 'quem não faz leva'. Não vou tirar uma vírgula do trabalho de Júnior Rocha. Foi merecido o empate. Mas nossa parcela de contribuição foi grande.”



Queda de rendimento no segundo tempo

Sobre a queda de produção do time no segundo tempo, explicou. “O Santa Cruz cresceu. É clássico. Aí duas situações ocorreram. O recuo excessivo. Que não foi determinação. Passou a dar campo ao Santa. Mas tivemos duas, três chances e não faz. Na quarta, veio uma coleção de situações. Preciosismo, imaturidade... e levou o contra-ataques”, acrescentou, reclamando ainda do recuo da última linha, antes do chute de Jeremias.

Roberto Fernandes ainda se disse 'profundamente irritado' com o resultado. Completou reclamando de opiniões de que o Náutico seria favorito na Série C, por conta do título estadual. “De uma forma geral deu para ver que o Náutico vai competir. Nosso time é tão competitivo quanto Botafogo-PB, Confiança, ABC... Mas não vai passear. Quem está achando que o Náutico vai atropelar, está enganado”, finalizou o comandante alvirrubro.


Recomendados para você


Comentários

Por Mario,16/04/2018

Lamentável o repórter Silvério sugerir, na entrevista com Roberto Fernandes, que a culpa do empate foi de Rafael Assis. O único culpado foi o treinador, que no segundo tempo colocou o time equivocadamente com a mesma formação do primeiro tempo do jogo com o Central, deixando Negreti sozinho para combater o meio-campo do Santa, e deu no que deu.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM