Jornal do Commercio
ilha do retiro

Sport é goleado pelo líder Atlético-MG por 4x1

Leão até saiu na frente, mas não aguentou a força do lider e acabou humilhado. Mancini foi bastante criticado pela torcida

Publicado em 21/07/2012, às 20h25

Felipe Azevedo foi o melhor do Sport em campo, mas não conseguiu evitar derrota / Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Felipe Azevedo foi o melhor do Sport em campo, mas não conseguiu evitar derrota

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Do JC Online

Diante do líder do campeonato, o Sport acabou pecando por ser ousado demais. Contra o Atlético-MG, na Ilha do Retiro, na noite deste sábado (21), o técnico Vágner Mancini fez tudo diferente do que já havia feito no campeonato: em vez de três volantes e um esquema forte na marcação, optou por um time com dois meias e dois atacantes. Resultado: levou um passeio do Galo e acabou goleado, dentro da Ilha do Retiro, por 4x1, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A. De virada, assim como aconteceu na última quarta-feira, diante do Grêmio, no Olímpico. E olhe que, pelo segundo tempo de Sport e Atlético, o placar de 4x1 acabou saindo barato para o Leão.

Com o resultado, o Atlético-MG mantém a liderança do Brasileirão, agora com 28 pontos. Na próxima rodada, o Galo joga em casa, diante do Santos, que perdeu nesta tarde do sábado, para o Vasco, por 2x0. Já o Leão mantém os 12 pontos, ficando na 12ª colocação. No entanto, deve ser ultrapassado neste domingo, quando acontece o complemento da rodada. Na quarta-feira, o Sport vai tentar se recuperar diante da Ponte Preta, em Campinas.

A escalação do Sport denotava o que viria pela frente. Mancini optou por tirar Rithelly - que vem sendo um dos melhores jogadores do Leão na competição - e colocou mais um meia: Felipe Menezes. Paralelo a isso, substituiu Renan Oliveira e colocou o apagado Marquinhos Paraná. Também preferiu deixar Tobi como titular, mesmo sendo visível que o atleta está mal e não rende, nem de longe, o que rendia quando jogava na zaga.

Com um esquema mais ofensivo, no primeiro tempo o Sport até que chegou com perido em algumas oportunidades. Tinha em Felipe Azevedo o melhor jogador em campo, mas encontrava um Atlético bem postado. Mesmo assim, quando o Atlético chegava levava algum transtorno à zaga. Como o Galo não estava tão bem assim no primeiro tempo, até que os sustos foram poucos.

E, assim como aconteceu diante do Grêmio, o Sport conseguiu abrir o placar. Aos 25 minutos, Cicinho fez boa jogada pela direita e cruzou na medida para Gilberto, que mostrou oportunismo e apenas escorou para o gol.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

 

A grande virtude do Atlético-MG - e que, com certeza, o ajuda a ser o líder da competição - é justamente não se apavorar ao sair atrás do placar. Pelo contrário. Colocou a bola no chão e passou a chegar com mais perigo ao gol do rubro-negro. Em uma das investidas, aos 33 minutos, Bernard tabelou com Ronaldinho Gaúcho, a zaga tentou tirar mas se atrapalhou. A bola sobrou para Danilinho, que, sem goleiro e apenas Cicinho na barra, tocou para empatar. Aos 36, Jô ainda teve a chance de virar, mas chutou para fora.

FARRA E FOLIA - No segundo tempo, o Sport voltou completamente sonolento e o Atlético-MG, disposto a manter a liderança de todo jeito. Resultado: o Leão não viu a cor da bola.

Pensando em desempatar, Vágner Mancini tirou o volante Marquinhos Paraná para colocar o atacante Gilsinho. O time desarrumou-se de vez e levou a virada um minuto depois, aos 14. Ronaldinho Gaúcho recebeu a bola no mano a mano com Edcarlos, avançou e tocou fora do alcance de Magrão.

Depois do segundo gol, o Atlético percebeu que podia fazer mais gols e foi para cima. Aos 21, Jô não teve trabalho para subir mais que a zaga e cabecear para fazer o terceiro gol do Galo.

Aos 28, Reinaldo saiu jogando errado e, após o bate-rebate, a bola sobrou para Bernard, na meia lua de grande área, encobrir Magrão e fazer o golaço da noite. O time ainda teve chances de ampliar, mas pecou nos próprios erros e o jogo acabou mesmo 4x1.

Sport: Magrão, Cicinho (Moacir), Bruno Aguiar, Edcarlos e Reinaldo; Tobi, Marquinhos Paraná (Gilsinho), Felipe Menezes (Rithelly) e Marquinhos Gabriel; Felipe Azevedo e Gilberto. Técnico: Vágner Mancini.

Atlético-MG: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Réver e Júlio César; Pierre, Leandro Donizete, Ronaldinho Gaúcho e Danilinho; Bernard e Jô. Técnico: Cuca.

Público: 18.262




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM