Jornal do Commercio
Jogos do Rio

Dirigente do COI pede firmeza nas investigações contra Nuzman

Na opinião do dirigente Richard Pound, a reputação do Comitê Olímpico Internacional está sendo 'manchada' ante aos olhos do mundo

Publicado em 08/09/2017, às 19h31

Procuradorias do Brasil e da França realizaram operação de busca e apreensão na casa de Carlos Arthur Nuzman, no Rio, que também teve de ir à sede da PF prestar depoimento / Foto: AFP
Procuradorias do Brasil e da França realizaram operação de busca e apreensão na casa de Carlos Arthur Nuzman, no Rio, que também teve de ir à sede da PF prestar depoimento
Foto: AFP
Estadão Conteúdo

O canadense Richard Pound, veterano membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), se pronunciou nesta sexta-feira (8) sobre as investigações que apuram a fraude na escolha do Rio de Janeiro para sede da Olimpíada de 2016. Ele pediu que todos os membros da entidade atuem com firmeza especialmente no julgamento de Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e que também foi mandatário do Comitê Organizador dos Jogos do Rio-2016.

Na opinião do dirigente, que chegou a ser vice-presidente do COI, "a reputação da entidade está sendo manchada ante aos olhos do mundo". Por isso, cobrou a todos. "Necessitamos ser mais firmes neste caso, porque estamos sendo atacados e parece que não estamos fazendo nada", comentou em entrevista à Associated Press (AP).

A entidade aguarda por um relatório completo sobre o caso Carlos Arthur Nuzman antes de tomar alguma decisão. "De imediato, não estamos fazendo muita coisa. Mas não dá para ficar sem fazer nada, quando alguém diz que um dos membros está atuando de forma ilegal e que há vários outros com conduta inapropriada", prosseguiu Richard Pound.



Polícia Federal

Na última terça-feira, as procuradorias do Brasil e da França realizaram operação de busca e apreensão na casa de Carlos Arthur Nuzman, no Rio, que também teve de ir à sede da Polícia Federal prestar depoimento. O dirigente é suspeito de ter tido atuação decisiva para compra de apoio de dirigentes da África, da América do Sul e da Ásia para aprovar o Rio como sede dos Jogos de 2016.

Richard Pound disse que sempre ouviu informações negativas sobre as gestões de Carlos Arthur Nuzman nos Jogos do Rio-2016. No entanto, afirmou também que não havia indícios de que o brasileiro estivesse envolvido em corrupção.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM