Jornal do Commercio
Corrupção no esporte

MPF aponta crescimento de 457% no patrimônio de Nuzman em 10 anos

Somente em 2014, patrimônio de Nuzman dobrou com acréscimo de R$ 4,2 milhões

Publicado em 05/10/2017, às 10h46

Nuzman ganhou R$ 4,2 milhões em apenas um ano / Foto: ABr
Nuzman ganhou R$ 4,2 milhões em apenas um ano
Foto: ABr
Estadão Conteúdo

O presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Carlos Arthur Nuzman, teve crescimento "exponencial" de seu patrimônio entre 2006 a 2016: 457%, segundo o Ministério Público Federal (MPF). Só em 2014, o patrimônio de Nuzman dobrou, com um acréscimo de R$ 4,2 milhões. Os bens de Nuzman incluem 16 barras de ouro, depositadas em um cofre na Suíça, segundo denúncia dos procuradores federais à Justiça. O cartola foi preso nesta quinta-feira, pela Polícia Federal, na Operação Unfair Play - Segundo Tempo.

De acordo com o MPF, "chama a atenção o fato de que, desse valor, R$ 3.851.490,00 são decorrentes de ações de companhia sediada nas Ilhas Virgens Britânicas, conhecido paraíso fiscal." As informações foram obtidas com a quebra do sigilo fiscal do presidente do COB. O MPF destaca ainda que as declarações de Imposto de Renda de Nuzman não registram a sua remuneração recebida do COB ou do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de 2016.

"Por outro lado, Nuzman justifica a origem de seu patrimônio a partir do recebimento de valores de pessoas físicas e do exterior. Contudo não há explicações sobre quem efetivamente lhe remunerou. Não há indicação de empresas ou de CPFs que permitiriam a real constatação da origem (e legitimidade) dos recursos que formam seu patrimônio", afirma o MPF.



Os procuradores alertam que a situação é agravada com a retificação da declaração do Imposto de Renda realizada poucos dias após a deflagração da Operação Unfair Play. Na ocasião, Nuzman foi intimado a comparecer na Polícia Federal. Também foram realizadas buscas e apreensões em sua residência e empresas.

"Com efeito, Carlos Nuzman mantinha recursos ocultos no exterior e somente os declarou à Receita Federal por meio de retificação da DIRPF na data de 20/09/2017, ou seja, após a deflagração da Operação Unfair Play. Ciente das apreensões realizadas em sua residência, inclusive de informações e elementos que levariam ao conhecimento de tais bens no exterior, Carlos Nuzman tentou regularizar sua situação", disse a denúncia.

Chave

Um dos objetos apreendidos pela equipe da Lava Jato foi uma chave que os procuradores desconfiam que pode corresponder a um cofre do presidente do COB na Suíça. Ela estava guardada junto a cartões de visita de agentes que trabalham com "serviço de locação". "Sabendo dessa apreensão, Nuzman tentou adiantar-se para evitar que as barras de ouro possivelmente depositadas no aludido cofre fossem descobertas pelas investigações. Segundo o MPF, Nuzman teria feito retificações em sua declaração para incluir valores em dinheiro vivo, bem como as barras de ouro de 1kg cada.

O Estado ainda não conseguiu contato com a defesa do ex-presidente do COB, para que comente a denúncia.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

#ConexãoPelaVida #ConexãoPelaVida
Há quase dois séculos, o Real Hospital Português mantém a sua atenção voltada para o bem-estar dos pacientes. Conheça um pouco mais sobre a instituição médica que aos 162 não para de se modernizar
Agreste Empreendedor Agreste Empreendedor
O Agreste pernambucano é a região que mais cresce em Pernambuco. E, por incrível que pareça, a força motriz que puxou esse desenvolvimento foi o empreendedorismo.
Envelhecer bem Envelhecer bem
Com eles não tem isso de ficar em casa ou passar boa parte do dia lendo ou na frente da televisão. Não suportam dias monótonos. Eles são muito ativos e encaram qualquer desafio, até porque querem aproveitar a vida da melhor forma possível.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM