Jornal do Commercio
Corrupção no COB

Nuzman: Fortuna de R$ 2 milhões está guardada num armazém na Suíça

Segundo as investigações, Nuzman guarda 16 barras de ouro em meio a pinturas de alto valor, peças arqueológicas e joias

Publicado em 06/10/2017, às 07h03

Nuzman foi peso pela Polícia Federal nesta quinta-feira / Foto: Agência Brasil
Nuzman foi peso pela Polícia Federal nesta quinta-feira
Foto: Agência Brasil
Estadão Conteúdo

Em um bairro afastado de Genebra, na Suíça, um armazém de proporções impressionantes guarda alguns dos maiores segredos da Europa: pinturas de alto valor, peças arqueológicas e joias. Mas também ouro brasileiro. Trata-se do Ports Francs de Geneve, uma espécie de entreposto comercial e cofre-forte em um dos locais mais seguros do mundo.

O jornal O Estado de S.Paulo confirmou que Carlos Arthur Nuzman é de fato "cliente" do local, especializado em guardar itens de valor. Ali, segundo a polícia, o brasileiro guarda 16 barras de ouro. Investigadores suíços disseram que vão cooperar com o Brasil e que o congelamento dos ativos, a transmissão dos dados e eventual repatriação do ouro poderão ocorrer.

Mas antes que o Ministério Público da Suíça pudesse tomar uma iniciativa, funcionários do alto escalão do cofre-forte em Genebra confirmaram por telefone ao jornal O Estado de S.Paulo que Carlos Arthur Nuzman era seu cliente. Não sabiam da prisão do cartola e insistiram que o tema fosse tratado na próxima segunda-feira, quando a pessoa encarregada dos temas de Nuzman estaria no local.

O aluguel do cofre foi alvo de contato de um representante de Carlos Arthur Nuzman "há alguns dias". Ninguém sabia da prisão dele. A ligação foi então repassada para outro funcionário, que disse não haver qualquer tipo de ação policial até aquele momento, cerca de 15h30, e que, portanto, se alguém viesse com procuração de Nuzman, poderia levar o conteúdo do cofre. Mas admitiu que, se uma ordem policial chegasse, teriam de cumpri-la "Por enquanto, não recebemos nada", disse.

Era um prédio imponente nas proximidades do estádio de Genebra e da linha de trem. Conhecido por suas polêmicas ao longo dos anos por abrigar peças roubadas e artigos arqueológicos de valor, o gerente não informou quanto custa para alugar um cofre. Deu o e-mail de um responsável: o nome era o mesmo que aparece entre os cartões de visita descobertos na casa de Carlos Arthur Nuzman, no Rio de Janeiro.

Enquanto a reportagem consultava documentos oficiais no local, funcionários do cofre-forte discutiam como tinham recebido um telefonema de alguém buscando informações sobre Carlos Arthur Nuzman e como, sem saber que se tratava de um repórter, repassaram os dados. "Não fizemos o nosso trabalho", dizia um dos responsáveis sem saber que a discussão ocorria diante do jornalista que havia feito a ligação.



Para se justificar, disseram que o repórter se apresentou como sendo advogado de Carlos Arthur Nuzman. A reportagem deu seu nome real aos funcionários, indicando que queria falar sobre o caso do presidente do COB. A reportagem entrou em contato com os procuradores para relatar o ocorrido.

Tradicionalmente, guardar ouro ou diamantes em Genebra tem vantagens. Nos serviços de aluguel de cofre visitados pela reportagem, nenhum deles exige a procedência do objeto. Já nos bancos, qualquer movimentação de brasileiros tem sido suscetível de exame por parte de gerentes, cada vez mais pressionados a saber origens de tudo.

Carlos Arthur Nuzman não é o único ator dos Jogos do Rio-2016 com ouro em Genebra, cidade a 60 quilômetros da sede do COI. Há seis meses, o jornal O Estado de S.Paulo revelou que o ex-governador Sergio Cabral tinha barras do metal e pedras preciosas em dois locais da cidade suíça. No total, envolveriam US$ 3,5 milhões (R$ 10,8 mi). Um dos locais usados é da mesma rede de serviços que Nuzman utilizou. No caso de Cabral, a opção foi manter os ativos em entreposto perto do aeroporto.

Cooperação

A Suíça vai cooperar com o Ministério Público para identificar, congelar e, eventualmente, devolver recursos de Carlos Arthur Nuzman. O Departamento de Justiça e Polícia da Suíça recebeu pedido de cooperação no último dia 28, referente aos ativos do dirigente. "Após exame sumário, delegamos o pedido ao Escritório do Procurador Geral da Suíça para que seja executado", informou o Departamento de Justiça. Entre os pedidos do Brasil está o confisco de contas bancárias e de barras de ouro, em Genebra e Lausanne. Mas o que os procuradores brasileiros pedem é que os investigadores suíços identifiquem as contas em nome de Nuzman, assim como aquelas em que ele poderia ser beneficiário.

Bancos suíços têm a obrigação de informar às autoridades sobre eventuais contas que possam existir relacionadas ao brasileiro. Nesta quinta-feira, a Justiça repassou o pedido de cooperação do Brasil ao Ministério Público, em Berna, para que seja executado

Em setembro, a reportagem revelou que a polícia descobriu nos computadores de Carlos Arthur Nuzman e-mails no quais ele se dirigia à Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês), solicitando que pagamentos fossem realizados a uma conta em Lausanne. A entidade era governada por Lamine Diack, acusado de compras de voto do Rio. (colaborou Constança Rezende, no Rio)


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

#ConexãoPelaVida #ConexãoPelaVida
Há quase dois séculos, o Real Hospital Português mantém a sua atenção voltada para o bem-estar dos pacientes. Conheça um pouco mais sobre a instituição médica que aos 162 não para de se modernizar
Agreste Empreendedor Agreste Empreendedor
O Agreste pernambucano é a região que mais cresce em Pernambuco. E, por incrível que pareça, a força motriz que puxou esse desenvolvimento foi o empreendedorismo.
Envelhecer bem Envelhecer bem
Com eles não tem isso de ficar em casa ou passar boa parte do dia lendo ou na frente da televisão. Não suportam dias monótonos. Eles são muito ativos e encaram qualquer desafio, até porque querem aproveitar a vida da melhor forma possível.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM