Jornal do Commercio
vôlei

Bernardinho não é mais técnico da seleção masculina de vôlei

Bernardinho deixa o cargo nesta quarta-feira. Renan Dal Zotto assume o comando da equipe brasileira no novo ciclo olímpico de Tóquio-2020

Publicado em 11/01/2017, às 15h22

Bernardinho deixa a seleção masculina após 16 anos à frente da equipe / CBV/Divulgação
Bernardinho deixa a seleção masculina após 16 anos à frente da equipe
CBV/Divulgação
JC Online

Após 16 anos no comando da seleção brasileira masculina de vôlei, Bernardinho deixa oficialmente o cargo para se dedicar aos projetos pessoais junto a sua família. A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), durante entrevista coletiva, na tarde desta quarta-feira, revelou que Bernardinho deixa a função de treinador, mas pode continuar como consultor da entidade. Em  seu lugar, o técnico Renan Dal Zotto passa a liderar a equipe nacional no novo ciclo olímpico de Tóquio-2020.

"É um motivo de muito orgulho, especialmente pela confiança depositada. É importante para mim. Estou há mais de 40 anos no voleibol, e algumas vezes fui convocado pela CBV. Primeiro como jogador, depois em 2001, quando trabalhei na transição do Bernardo da seleção feminina para o masculino. Cada vez que vem esse convite me entusiasma muito", disse o novo treinador do Brasil.

Radamés Lattari, diretor de seleções da CBV, explicou a situação. "Bernardinho está precisando de mais tempo para ele, para a família, para cuidar da saúde. Ele não tem problema nenhum com a CBV. Tanto que o presidente lançou o convite para ele permanecer no vôlei como coordenador técnico e fazer parte do conselho gestor da entidade", explicou o dirigente, que não revelou a resposta do ex-técnico. É provável que ele continue na CBV como consultor esportivo. 


Renan Dal Zotto (esquerda) é agora o técnico da seleção masculina. Foto: Divulgação/CBV

De acordo com Radamés, que assumiu a diretoria de vôlei de quadra, Bernardinho decidiu deixar a seleção na última semana do ano passado. "Ele falou que chegou uma hora em que precisava dar mais atenção à família, ao pai. Ele quer estar um pouco mais próximo das filhas. Acho que tem um pouco do desgaste natural de tantos anos. Ele está precisando um tempo para ele. É só esse o motivo", afirmou.

CURRÍCULO

Em seu currículo como técnico da seleção, Bernardinho ostenta 28 títulos. Entre eles estão dois ouros olímpicos, três títulos mundiais, oito títulos da Liga Mundial e oito vezes campeão sul-americano. 

Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM