Jornal do Commercio
Tênis

Brasileiros fazem preparação em altitude para Copa Davis

Equipe do Brasil conta com Marcelo Melo, Bruno Soares, Thiago Monteiro e Thomaz Bellucci

Publicado em 05/04/2017, às 07h38

Marcelo Melo já treina com a equipe brasileira após a conquista do Masters 1.000 de Miami / CBT/Divulgação
Marcelo Melo já treina com a equipe brasileira após a conquista do Masters 1.000 de Miami
CBT/Divulgação
Luana Ponsoni

A equipe brasileira iniciou, no último domingo (2), a preparação para a disputa do Zonal Americano I da Copa Davis contra o Equador, no Club Tungurahua, em Ambato, no país dos adversários, entre esta sexta-feira (7) e domingo (9). A preparação esta semana começou com a equipe completa, já contando com os tenistas Bruno Soares e Marcelo Melo. Melo, no último final de semana, conquistou o ATP Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos, passando a ocupar o posto de jogador número 2 do mundo em duplas. Eles se juntaram a Thomaz Bellucci e Thiago Monteiro.

No seu primeiro dia em Ambato, Marcelo Melo fez apenas trabalhos físicos, devido ao desgaste dos jogos em Miami. O mineiro comenta as dificuldades que terá no confronto. “Estava jogando em quadra dura e aqui estão bem diferentes as condições, principalmente pela altitude e pelo piso de saibro. O grande desafio é se acostumar os mais de 2500 metros”, afirmou o mineiro.



DISPUTA

Bruno Soares acredita que o Time Correios Brasil estará pronto para a disputa na sexta-feira (7). “Temos uma semana para se adaptar à altitude. Mas está bem legal, já estamos sentindo melhor a bola, agora é continuar trabalhando forte porque a equipe está firme nesse processo”, afirmou o mineiro que foi até as quartas de final no Masters 1000 de Miami, perdendo para o parceiro Marcelo Melo.

 


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM