Jornal do Commercio
maratona

Quenianos vencem a Maratona de Boston, nos Estados Unidos

Geoffrey Kirui e Edna Kiplagat conquistaram o primeiro lugar no masculino e feminino, nessa ordem. Maratona de Boston é uma das mais tradicionais do mundo

Publicado em 17/04/2017, às 16h32

Esta foi a primeira vez que Edna Kiplagat correu a Maratona de Boston / Reprodução/Instagram
Esta foi a primeira vez que Edna Kiplagat correu a Maratona de Boston
Reprodução/Instagram
JC Online

A tradicional Maratona de Boston, nos Estados Unidos, consagrou dois quenianos. No masculino, Geoffrey Kirui venceu a 121ª edição de uma das provas mais emblemáticas do circuito internacional. Ele concluiu os 42km no tempo de 2h08min37seg, deixando para trás o norte-americano Galen Rupp, segundo colocado com apenas 21 segundos de diferença. No feminino, a vencedora foi Edna Kiplagat, que cravou a marca de 2h21min52s.

Galen Rupp, bronze na maratona na Olimpíada do Rio, no ano passado, terminou 21 segundos atrás, enquanto o japonês Suguru Osako ficou em terceiro lugar, com 30 segundos de desvantagem para o vencedor. 



FEMININO

A vitória de Edna Kiplagat veio logo na sua primeira participação na Maratona de Boston, sendo que ela já somava triunfos nas provas majors de Londres, Nova York e Los Angeles. Ela venceu com uma vantagem de 59 segundos para a bareinita Rose Chelimo. Jordan Hasay, que debutava nesta distância, chegou em terceiro lugar e Desi Linden na quarta posição, na primeira vez desde 1991 em que duas corredoras norte-americanas terminaram a Maratona de Boston nos quatro primeiros lugares.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM