Jornal do Commercio
UFC

Cris Cyborg diz que vai disputar o cinturão dos penas em julho

Brasileira sobe ao octógono em julho, no UFC 214

Publicado em 18/04/2017, às 21h24

Brasileira já fez duas lutas pelo UFC, ambas no ano passado. / Foto: UFC.
Brasileira já fez duas lutas pelo UFC, ambas no ano passado.
Foto: UFC.
Do JC Online

A lutadora brasileira Cris Cyborg está próxima de realizar seu sonho em disputar o cinturão do UFC. A curitibana usou sua conta no Instagram para comunicar que vai disputar o título dos pesos-pena feminino no dia 29 de julho contra Germaine de Randaime no UFC 214, marcado para a cidade de Anaheim, nos EUA. Ela chegou a apagar a postagem, mas em seguida publicou novamente.

"Em 29 de julho, vou fazer a minha primeira luta @ufc nos EUA! Estou animada, o evento será na minha área nos EUA, em de Orange County, na Califórnia. Estou ansiosa para colocar uma luta emocionante contra @ironladymma! Eu sei que muitos dos meus fãs nunca pensaram que eles iriam ver o dia onde eu estaria lutando pelo cinturão #ufc, mas chegou a hora!"



Cyborg tem um cartel quase cem por cento nas artes marciais mistas. São 17 vitórias, uma derrota e outra luta sem resultado. Nas duas duas primeiras investidas no Ultimate ela não deixou barato para as adversárias, ambas em peso combinado. Em maio do ano passado venceu Leslie Smith por nocaute no primeiro round. Em setembro, outro nocaute na luta principal do UFC Brasília, desta vez no segundo round sobre Lina Lansberg.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM