Jornal do Commercio
jogos escolares

Marcelo Negrão motiva jovens talentos esportivos: ''queremos legado''

Marcelo Negrão foi campeão olímpico nos Jogos de Barcelona, em 1992. Ele foi o grande homenageado na abertura dos Jogos Escolares de Pernambuco

Publicado em 19/04/2017, às 09h08

Ex-jogador de vôlei tem hoje 45 anos. Ele iniciou a carreira no Recife / Divulgação
Ex-jogador de vôlei tem hoje 45 anos. Ele iniciou a carreira no Recife
Divulgação
JC Online

Campeão olímpico nos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, e melhor jogador do mundo, Marcelo Negrão foi o grande homenageado na abertura da 58ª edição dos Jogos Escolares de Pernambuco, na terça-feira. O ex-jogador de vôlei aproveitou o momento para falar sobre a nova fase da seleção masculina de vôlei, que encara grande mudança após a saída de Bernardinho do comando, sobre a competição estadual e o grande feito da equipe na Olimpíada de Barcelona.

Marcelo Negrão fez parte do grupo que conquistou o primeiro ouro em esportes coletivos do Brasil, em 1992. Foi dele o último saque da partida, um ace, que os adversários não conseguiram defender. Ele se sente honrado por ter vivido esse momento histórico no esporte e deseja que novos talentos apareçam nos Jogos Escolares. Negrão se mudou para o Recife quando tinha dois anos e começou a carreira no Recife aos 11. Na época, defendeu o Colégio Boa Viagem e iniciou sua carreira no vôlei.

JEPS

Tudo tem um degrau na nossa vida. Esse é o primeiro. E pouco a pouco eles (os alunos) vão ver como é importante. Não só na parte esportiva, mas também na parte da amizade, no ambiente saudável que é construído. Longe de marginalidade e das drogas. É o comecinho da carreira de um campeão olímpico. É a primeira competição importante, isso vai marcar a vida deles. É importante dar essa oportunidade. Porque quem quiser seguir vai ser dessa forma. Não existe outra possibilidade.

 

LEGADO

Iniciei uma conversa com o secretário (Felipe Carreras) e a ideia é deixar um legado. Não é só realizar o evento e ir embora. A ideia é motivar a garotada, porque Recife, Pernambuco e o Nordeste de forma geral, tem muito atleta bom, que tem condição de representar o Estado e ficar. Vamos criar algumas propostas, envolver algumas empresas para que atletas fiquem aqui e não precisem se transferir para outro estado.



HOMENAGEM

A homenagem é muito bacana. Hoje tenho 45 anos, mas quando tinha 19 fui campeão olímpico. Também tive a grande honra de receber o título de cidadão pernambucano. Me orgulho muito e foi por pouco que eu não nasci aqui. Vim para cá quando tinha dois anos e tenho uma relação importante com Pernambuco. Meus melhores amigos são daqui. Tenho um carinho enorme e me sinto muito honrado por receber essa homenagem e de servir como referência para a garotada.[INTERTITULO2]

ESPORTE

O esporte faz milagres. O esporte ajuda, está longe das drogas, consegue contribuir na inclusão social da garotada. As crianças aprendem a escutar os companheiros, obedecer o técnico. Ser uma pessoa mais aberta, mais coletiva e repartir coisas materiais. Saber o momento certo de fazer o que está sendo pedindo. Todo o trabalho de educação da escola e dos pais você encontra também no esporte. Por isso que o esporte é extremamente importante na formação de um jovem.

SELEÇÃO 2017

Fiquei surpreso não pelo talento do Renan (Dal Zotto). Ele foi um grande jogador, já foi técnico também. Fiquei surpreso porque todos esperavam que o substituto seria o assistente técnico de Bernardinho (Rubinho), que já está na mesma batida há muitos anos, esperando a oportunidade. Depois, porque Renan está afastado há oito anos do comando de times do vôlei. 

BARCELONA-92

Eu tive muita sorte de ter finalizado aquela bola e ser responsável pelo ouro olímpico. Aquele momento deu início ao vôlei que conhecemos hoje. Depois daquela medalha, vieram outras conquistas. Viramos referência no esporte.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM