Jornal do Commercio
automobilismo

Alonso acredita em melhora da McLaren na Rússia

Fernando Alonso ainda não completou uma corrida sequer em 2017. Com ajustes da Honda, ele espera melhora no desempenho da McLaren

Publicado em 27/04/2017, às 18h41

Fernando Alonso vai correr as 500 milhas de Indianápolis / AFP
Fernando Alonso vai correr as 500 milhas de Indianápolis
AFP
JC Online

A temporada 2017 não começou tão bem para Fernando Alonso. O piloto da McLaren ainda não pontuou no Mundial de Pilotos, e é o 19º na classificação. Depois de três corridas sem grandes atuações, o espanhol espera que a sorte mude no GP da Rússia, neste domingo, às 09h (de Brasília).

"Acredito que as mudanças vão se dar neste final de semana", avaliou o piloto da McLaren. O espanhol não terminou nenhuma corrida na temporada. Na estreia, no GP da Austrália. Na China, no GP de Xangai, o destino foi o mesmo. Com uma leve melhora em sua performance no GP do Bahrein, o piloto chegou a estar entre os 10 melhores pilotos durante a corrida, mas também não completou.



MUDANÇAS NA MCLAREN

No início da semana a Honda, que fornece o motor do modelo de McLaren dirigido por Alonso, afirmou que realizaria algumas mudanças, de olho em um melhor desempenho do espanhol e de seu companheiro Stoffel Vandoorne.

"A corrida da Rússia vai ser difícil. Não há dúvidas que não temos sido competitivos, mas não vamos mudar radicalmente as coisas. Ao mesmo tempo, já vemos algumas melhorias na confiabilidade do motor e no desempenho aerodinâmico", completou.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM