Jornal do Commercio
automobilismo

Alonso dá prazo de 6 meses para McLaren e ameaça deixar F-1

Fernando Alonso está bem insatisfeito com o desempenho da McLaren em 2017. Ele disse que até outubro a equipe precisa mostrar alguma evolução

Publicado em 11/05/2017, às 13h03

Alonso vai disputar as 500 Milhas no dia 28 de maio / AFP
Alonso vai disputar as 500 Milhas no dia 28 de maio
AFP
JC Online

Claramente insatisfeito com o rendimento da McLaren nestes últimos anos, o espanhol Fernando Alonso deu um ultimato à equipe nesta quinta-feira, às vésperas do GP da Espanha. O piloto bicampeão mundial deu seis meses para a McLaren ajustar o carro atual e até ameaçou deixar a Fórmula 1 no fim do ano.

"Por volta de setembro ou outubro, precisarei considerar o que farei no próximo ano, se será o momento de buscar novos desafios fora da Fórmula 1 ou mesmo dentro da categoria, se houver alguma oportunidade de brigar pelo título", disse Alonso, que ainda não conseguiu completar uma corrida neste ano, após quatro etapas disputadas na temporada.



INSATISFAÇÕES

Problemas mecânicos variados, principalmente no motor Honda, vem sendo o ponto fraco da McLaren neste ano. Na última corrida, na Rússia, o espanhol não conseguiu nem largar por causa de uma falha no carro ainda na volta de apresentação. "É muito ruim para nós, como equipe, não largar em uma corrida. É completamente inaceitável", declarou.

Passadas quase duas semanas daquela prova em Sochi, Alonso nutre esperanças de que a McLaren apresente evolução no circuito da Catalunha, onde já venceu duas vezes. "Vamos ver o que poderemos fazer aqui. Definitivamente, nosso momento agora não é dos melhores. Espero que possamos terminar a corrida com os dois carros e acumular alguma quilometragem. Poderá ser o ponto de partida para um novo campeonato para nós", afirmou.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM