Jornal do Commercio
tênis

Murray cai nas oitavas de final em Madri

Murray é o atual líder do ranking mundial, mas em Madri perdeu para um tenista 'lucky loser', que se classificou após algum rival abandonar a disputa

Publicado em 11/05/2017, às 13h42

Murray é o primeiro do ranking, mas não encara boa fase  / AFP
Murray é o primeiro do ranking, mas não encara boa fase
AFP
JC Online

Atual número 1 do mundo, Andy Murray se despediu de forma precoce do Masters 1000 de Madri, nesta quinta-feira. O escocês foi surpreendido pelo croata Borna Coric por duplo 6/3. Longe de suas melhores apresentações, o favorito foi batido pelo rival que veio do qualifying em 1h25min no saibro do torneio espanhol.

Dono de dois títulos na capital espanhola, Murray caiu logo em sua segunda partida, na fase de oitavas de final. Foi a segunda vitória de Coric, de apenas 20 anos, sobre o rival britânico. Agora estão empatados no retrospecto no circuito profissional.



MÁ FASE

O revés levanta dúvidas sobre a fase do número 1 do mundo no saibro. Em seu primeiro torneio sobre o piso, no Masters de Montecarlo, ele venceu apenas um jogo. Na sequência, se saiu melhor em Barcelona, competição de nível menos exigente, mas não passou da semifinal.

Desta vez, em Madri, Murray caiu diante de um "lucky loser", aquele tenista do qualifying que perde na última rodada, mas consegue a vaga na chave principal após algum abandono. Coric é o atual 59º do ranking e, nas quartas de final, enfrentará o vencedor do duelo entre o búlgaro Grigor Dimitrov e o austríaco Dominic Thiem.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM