Jornal do Commercio
WSL

Mineirinho é o único brasileiro já garantido nas quartas do Rio Pro

Gabriel Medina e Wiggolly Dantas buscam vaga na repescagem

Publicado em 14/05/2017, às 18h04

Na quarta fase, houve uma bateria 100% brasileira, com Mineirinho, Wiggolly e Medina / WSL/Divulgação
Na quarta fase, houve uma bateria 100% brasileira, com Mineirinho, Wiggolly e Medina
WSL/Divulgação
Luana Ponsoni

O campeão mundial de 2015, Adriano de Souza, é o único brasileiro já garantido nas quartas de final do Oi Rio Pro, a quarta etapa da Liga Mundial de Surfe (WSL, na sigla em inglês). Neste domingo (14) Mineirinho, como também é conhecido, superou o detentor do título em 2014, Gabriel Medina e o também brasileiro Wiggolly Dantas na quarta fase do torneio. Os compatriotas, porém, não estão eliminados, pois ainda disputam a quinta fase (repescagem). Às 6h45 de hoje, a organização vai avaliar as condições do mar antes de dar seguimento à competição.

Com escolha impecável das ondas, Adriano atingiu os imbatíveis 17,27 pontos que o classificaram. Medina arriscou vários aéreos, para delírio da torcida. No melhor deles, recebeu a maior nota da bateria: 9,0. Wiggolly também mostrou a força, conseguindo 8,77 em sua última tentativa para terminar em segundo lugar, com 16,54 pontos, contra 16,53 de Medina.

“Fiquei feliz de poder usar o meu surfe, especialmente contra o campeão mundial Gabriel Medina e o Wiggolly (Dantas), que está muito bem nesse evento”, disse Adriano de Souza.



Na quinta fase, Wiggolly Dantas e o australiano Joel Parkinson vão disputar a primeira bateria. Quem vencer enfrentará Adriano de Souza na abertura das quartas de final do Oi Rio Pro. A segunda será mais um confronto 100% brasileiro entre Gabriel Medina e Yago Dora, valendo vaga para o duelo com Mick Fanning.

O tricampeão mundial achou boas ondas para tirar notas 9,5 e 8,0 e superar Joel Parkinson e, principalmente, o ataque aéreo de Yago Dora.
As outras vagas diretas para as quartas de final disputadas ontem, em Saquarema, foram conquistadas pelos australianos Adrian Buchan e Owen Wright.

FEMININO

A disputa feminina da WSL chegou ao fim ontem no Rio, definindo a australiana Tyler Wright como campeã. Na final, ela desbancou a francesa Johanne Defay. Única mulher do País na elite do surfe, Silvana Lima não chegou a pontuar, sendo eliminada na segunda fase (repescagem).


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM