Jornal do Commercio
WSL

Mineirinho é o único brasileiro já garantido nas quartas do Rio Pro

Gabriel Medina e Wiggolly Dantas buscam vaga na repescagem

Publicado em 14/05/2017, às 18h04

Na quarta fase, houve uma bateria 100% brasileira, com Mineirinho, Wiggolly e Medina / WSL/Divulgação
Na quarta fase, houve uma bateria 100% brasileira, com Mineirinho, Wiggolly e Medina
WSL/Divulgação
Luana Ponsoni

O campeão mundial de 2015, Adriano de Souza, é o único brasileiro já garantido nas quartas de final do Oi Rio Pro, a quarta etapa da Liga Mundial de Surfe (WSL, na sigla em inglês). Neste domingo (14) Mineirinho, como também é conhecido, superou o detentor do título em 2014, Gabriel Medina e o também brasileiro Wiggolly Dantas na quarta fase do torneio. Os compatriotas, porém, não estão eliminados, pois ainda disputam a quinta fase (repescagem). Às 6h45 de hoje, a organização vai avaliar as condições do mar antes de dar seguimento à competição.

Com escolha impecável das ondas, Adriano atingiu os imbatíveis 17,27 pontos que o classificaram. Medina arriscou vários aéreos, para delírio da torcida. No melhor deles, recebeu a maior nota da bateria: 9,0. Wiggolly também mostrou a força, conseguindo 8,77 em sua última tentativa para terminar em segundo lugar, com 16,54 pontos, contra 16,53 de Medina.

“Fiquei feliz de poder usar o meu surfe, especialmente contra o campeão mundial Gabriel Medina e o Wiggolly (Dantas), que está muito bem nesse evento”, disse Adriano de Souza.



Na quinta fase, Wiggolly Dantas e o australiano Joel Parkinson vão disputar a primeira bateria. Quem vencer enfrentará Adriano de Souza na abertura das quartas de final do Oi Rio Pro. A segunda será mais um confronto 100% brasileiro entre Gabriel Medina e Yago Dora, valendo vaga para o duelo com Mick Fanning.

O tricampeão mundial achou boas ondas para tirar notas 9,5 e 8,0 e superar Joel Parkinson e, principalmente, o ataque aéreo de Yago Dora.
As outras vagas diretas para as quartas de final disputadas ontem, em Saquarema, foram conquistadas pelos australianos Adrian Buchan e Owen Wright.

FEMININO

A disputa feminina da WSL chegou ao fim ontem no Rio, definindo a australiana Tyler Wright como campeã. Na final, ela desbancou a francesa Johanne Defay. Única mulher do País na elite do surfe, Silvana Lima não chegou a pontuar, sendo eliminada na segunda fase (repescagem).


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM