Jornal do Commercio
tênis

Federer desiste de Roland Garros e só jogará na grama

Federer justificou que sua decisão aconteceu por conta da continuidade de sua carreira. Ele quer pular a temporada de saibro para ter mais tempo no circuito internacional

Publicado em 15/05/2017, às 16h13

Federer tem 35 anos e quer priorizar mais alguns anos de carreira / AFP
Federer tem 35 anos e quer priorizar mais alguns anos de carreira
AFP
JC Online

Sem jogar desde 2 de abril, dia em que derrotou Rafael Nadal na final do Masters 1000 de Miami, Roger Federer anunciou nesta segunda-feira que ficará fora desta edição de Roland Garros, que começa no próximo dia 28, em Paris. Inicialmente, o retorno do suíço às quadras estava previsto para acontecer no Grand Slam francês, mas o tenista de 35 anos de idade optou por priorizar a temporada de grama e de quadras duras em sua volta do circuito profissional.

O recordista de títulos de Grand Slam reconheceu que as grandes exigências físicas das partidas em piso de saibro não seriam benéficas para a continuidade de sua temporada, na qual está sendo bastante seletivo para definir as suas prioridades sem atrapalhar a almejada longevidade de sua carreira.



COMUNICADO

"Queridos fãs, infelizmente, decidi não participar de Roland Garros. Trabalhei muito duro, dentro e fora de quadra, durante o mês passado, mas para tentar jogar no circuito mundial da ATP por muitos anos, sinto que é melhor pular a temporada de saibro neste ano e me preparar para as temporadas de quadras de grama e dura", admitiu Federer, por meio de comunicado divulgado em seu site oficial.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM