Jornal do Commercio
ginástica

Com Arthur Zanetti no solo, ginástica do Brasil vai à quatro finais

Zanetti, Flávia Saraiva, Francisco Barreto e Lucas Bittencourt avançaram em suas respectivas finais da Copa do Mundo de Ginástica, na Croácia

Publicado em 18/05/2017, às 17h37

Zanetti ficou no quatro lugar do solo, com 14,100 / Divulgação
Zanetti ficou no quatro lugar do solo, com 14,100
Divulgação
JC Online

Os atletas do Brasil se classificaram nesta quinta-feira para quatro finais da etapa da Croácia da Copa do Mundo de Ginástica Artística, que está sendo realizada em Osijek. Foram os casos de Arthur Zanetti no solo, de Flávia Saraiva nas barras assimétricas, de Francisco Barreto nas barras paralelas e de Lucas Bittencourt no cavalo com alças.

ZANETTI

Arthur Zanetti avançou em quarto lugar na disputa do solo, com 14,100 pontos, em disputa liderada pelo russo Kirill Prokopoev com 14,600. A posição foi a mesma de Francisco Barreto nas barras paralelas, com 13,850, sendo que o melhor desempenho foi do dominicano Audrys Nin Reyes, com 14,400. Chico também competiu no cavalo com alças, sendo apenas o 33º colocado.



Lucas Bittencourt foi o oitavo melhor do cavalo, com 13,650, em eliminatória liderada pelo croata Robert Seligman, com 14,300 pontos. Ele também foi o nono colocado no solo e o 13.º nas barras paralelas.

Flávia Saraiva se classificou em sétimo lugar nas barras assimétricas, com 12,700 pontos, 1,600 a menos do que a russa Ana Iliankova, que liderou a disputa. Já Rebeca Andrade ficou na 10.ª posição. E Thais Fidélis não conseguiu avançar para a final do salto.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM