Jornal do Commercio
RETORNO

Rally de Regularidade volta em grande estilo

O esporte, que passou seis anos estagnado, foi retomado com força em Pernambuco

Publicado em 12/06/2017, às 08h17

O Rally de Regularidade voltou a ser disputado com frequência em Pernambuco. / Divulgação
O Rally de Regularidade voltou a ser disputado com frequência em Pernambuco.
Divulgação
Leonardo Vasconcelos

Um esporte definido pela regularidade, que carrega ela no nome, mas só recentemente está reconquistando-a em Pernambuco. Estamos falando do Rally de Regularidade, uma modalidade que era muito forte no Estado e depois de seis anos foi retomada com tudo. Ela voltou a ser disputada com frequência no ano passado e hoje já reúne quase 100 duplas e conquistas expressivas a nível regional.

A tal regularidade só veio depois de um momento de estagnação do esporte no Estado. “O rally em Pernambuco sempre foi forte, inclusive com bons resultados em competições de fora. Mas aos poucos foi enfraquecendo até que de 2008 a 2014 não foram realizadas provas regulares, apenas uma outra isolada, sem representatividade. Até que em 2015 a turma se reuniu para tentar fazer uma prova, acabou saindo três e um esboço de uma competição”, explicou um dos organizadores Claribenor Freitas Filho.

Em 2016, a ideia virou realidade e foi organizado o Campeonato Pernambucano com regulamento homologado pela CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) e supervisão da FPEA (Federação Pernambucana de Automobilismo). Foram quatro provas, além de uma extra em dezembro. Este ano, foram programadas cinco provas oficiais (duas já foram disputadas) e mais duas extras. E a tendência é crescer ainda mais.

Atualmente o campeonato é dividido em três categorias: Turismo Light para iniciantes (sem necessidade de carro ou equipamentos especiais), Turismo (para participantes com experiência mediana) e Graduados (voltado para quem tem muita experiência). Podem participar proprietários de automóveis de passeio, utilitários e derivados dos mesmos e de competição, de fabricação nacional e importada, equipados com transmissão original 4X4, obrigatoriamente.



O nível do torneio local está tão alto que os competidores estão conquistando bons resultados nos campeonatos regionais. No fim do mês passado, das quinze duplas pernambucanas que participaram da etapa do Mitsubishi Motorsport em Salvador, dez subiram ao pódio para premiação. “Nós dominamos em quase todas as categorias. Esse resultado foi um marco para a história do Rally de Pernambuco. Uma prova de que o trabalho que vem sendo desenvolvido no nosso Estado está começando a dar frutos”, disse Claribenor.

Como o próprio nome diz, o que vale no esporte é regularidade, como explica o diretor de provas Leonardo Moura: “A prova consiste em você cumprir um determinado percurso e um tempo estabelecido. O competir tem média de velocidade e distância a cumprir. Não pode andar nem adiantado nem atrasado, pois existem os postos de cronometragem. Se passar fora do tempo será penalizado e aí ganha quem perder menos pontos”.

PAIXÃO

A modalidade é mesmo uma paixão entre os competidores. Que o diga o representante comercial Gilmar Comin que já compete há dois anos. “Eu a conheci por acaso quando um amigo me convidou quando estávamos em um lava-jato. É um esporte que não te oferece risco algum e te possibilita você sair do estresse do dia-a-dia. O rally me proporcionou mais do que novas amizades e sim uma segunda família”, garantiu.


Recomendados para você


Comentários

Por Flavio Lima,12/06/2017

Boa notícia para os desportistas pernambucanos!!! Reaquecimento de um esporte!!!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM