Jornal do Commercio
Luto

[VÍDEO] Ex-UFC morre após ser nocauteado em luta de boxe

Atleta sofreu hemorragia cerebral, na tarde deste domingo (18)

Publicado em 19/06/2017, às 12h18

Hague sofreu várias quedas antes de ser nocauteado / Foto: reprodução
Hague sofreu várias quedas antes de ser nocauteado
Foto: reprodução
JC Online

Menos de 48 horas após a luta da última sexta-feira (15), o ex-UFC e lutador de boxe Tim Hague morreu vítima de hemorragia cerebral, na tarde deste domingo (18), de acordo com o jornal canadense "Edmonton Journal". O vídeo abaixo mostra o último confronto do peso-pesado.

O atleta foi nocauteado em confronto na Shaw Conference Centre, na cidade de Edmonton, no Canadá, e sofreu vários knockdowns (quando o atleta cai ainda consciente), mas o árbitro do confronto não interrompeu a luta enquanto o atleta não tivesse apagado.

Segundo o jornal, foi aberta uma investigação para apurar o caso e serão ouvidos os árbitros, médicos, juízes laterais e inspetores presentes no combate.



Adam Braidwood, adversário de Tim, o nocauteou no segundo round. Em seu instagram, fãs de boxe comentaram sobre o desfecho trágico que o confronto acabou tendo.

Repercussão

Ex-lutadores do UFC lamentaram no Facebook o falecimento do atleta.

Um deles foi o ex-campeão peso-leve BJ Penn, que publicou a notícia da morte do colega. O peso-galo Urijah Faber, ex-UFC, também comunicou a morte em sua conta na rede social.

Histórico

Timothy Edward Lee Hague faleceu aos 34 anos e teve um histórico de pouco destaque pelo UFC, com cartel de uma vitória e quatro derrotas. No histórico completo nas artes marciais conquistou 21 resultados positivios e foi derrotado em 13 lutas.

No mundo do boxe, venceu uma luta e perdeu três.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM