Jornal do Commercio
automobilismo

FIA vai reavaliar batida e Vettel pode sofrer punição mais dura na F1

Vettel já havia recebido a punição de uma parada de 10 segundos nos boxes. A entidade acredita que a punição pode ter sido branda para o piloto

Publicado em 28/06/2017, às 17h48

Vettel é o líder do mundial de pilotos / AFP
Vettel é o líder do mundial de pilotos
AFP
JC Online

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou nesta quarta-feira que vai reexaminar a batida do alemão Sebastian Vettel no inglês Lewis Hamilton ocorrida no GP do Azerbaijão de Fórmula 1, no domingo passado. Com a decisão, a entidade abriu a possibilidade de aplicar punição mais severa ao piloto da Ferrari, que lidera o campeonato.

Sebastian Vettel havia sido punido com uma parada de 10 segundos nos boxes, ainda durante a corrida disputada na cidade de Baku. Especialistas criticaram a decisão, que seria branda demais. O alemão recebeu a sanção por ter batido na traseira de Lewis Hamilton quando os carros estavam andando enfileirado, a baixa velocidade, sob o safety car.



REAÇÃO

Na sequência, Sebastian Vettel mostrou irritação, culpando Lewis Hamilton pelo toque, e emparelhou ao lado da Mercedes do inglês. Em seguida, jogou a sua Ferrari sobre o rival, batendo pneu com pneu. O alemão alegou que Hamilton teria desacelerado de forma repentina, induzindo-o ao choque na traseira.

No início da semana, dados de telemetria mostraram que Lewis Hamilton não teria desacelerado repentinamente ou não teria freado momentos antes da colisão. Com base nestas informações, a FIA decidiu reavaliar a punição aplicada pelos comissários durante a corrida.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM