Jornal do Commercio
Tênis

Bellucci é eliminado em Wimbledon e deixará de ser número 1 do Brasil

Irreconhecível, brasileiro perdeu na estreia para o alemão Ofner, 227º do mundo

Publicado em 04/07/2017, às 15h26

Bellucci deixará de ser o número 1 do País na próxima segunda (10) / Divulgação/Adidas
Bellucci deixará de ser o número 1 do País na próxima segunda (10)
Divulgação/Adidas
Diego Toscano
Twitter: @diegobmtoscano

Após duas vitórias na estreia, o Brasil começou mal no segundo dia em Wimbledon. Nesta terça (4), o brasileiro Thomaz Bellucci (55º no ranking da ATP) foi eliminado na primeira rodada do Grand Slam de grama. Derrota por 3 sets a 0 (6-2, 6-3 e 6-2) para o alemão Sebastian Ofner, número 227 do mundo.

Contra um adversário de apenas 21 anos e que conseguiu a sua primeira vitória em nível ATP, Bellucci foi irreconhecível. Em menos de duas horas, o brasileiro perdeu a segunda partida em Grand Slam para um oponente fora do Top 200 e se despediu precocemente da grama inglesa.



Com a derrota, Bellucci deixará de ser o número 1 do País no tênis na próxima segunda (10), quando a ATP divulgar o novo ranking de tenistas profissionais. O paulista defendia 160 pontos na semana. O novo melhor brasileiro ranqueado será Rogerinho, que também perdeu na estreia em Wimbledon, mas que não descartará pontos.

BRASILEIROS

Nesta quarta (5), dois brasileiros voltam a jogar em Wimbledon. Depois de conquistarem as suas primeiras vitórias em Grand Slam, Thiago Monteiro e Bia Haddad Maia jogam mais uma vez no Grand Slam. O cearense, número 100 do ranking da ATP, enfrenta o russo Karen Khachanov (34º do mundo), a partir das 9h, na quadra 14. Já Bia (97ª na WTA), única brasileira no torneio, tem pedreira pela frente: a romena Simona Halep, segunda melhor jogadora do mundo. O confronto acontece na quadra 1, por volta das 13h.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM