Jornal do Commercio
Natação

Ana Marcela é bronze nos 10km em águas abertas do Mundial de natação

Foi a nona medalha conquistada pela brasileira em mundiais de natação. O ouro ficou com a francesa Aurelie Muller

Publicado em 16/07/2017, às 10h35

Cunha cruzou a linha de chegada empatada com a italiana Arianna Bridi, que dividiu a terceira colocação após um sprinte final disputado e apertado / ATTILA KISBENEDEK / AFP
Cunha cruzou a linha de chegada empatada com a italiana Arianna Bridi, que dividiu a terceira colocação após um sprinte final disputado e apertado
ATTILA KISBENEDEK / AFP
AFP

A brasileira Ana Marcela Cunha conquistou o bronze nos 10 quilômetros em águas abertas, neste domingo, no Mundial de Natação disputado na Hungria.



A francesa Aurelie Muller levou o ouro, seguida da equatoriana Samantha Arévalo, com a prata.

Cunha cruzou a linha de chegada empatada com a italiana Arianna Bridi, que dividiu a terceira colocação após um sprinte final disputado e apertado.

A francesa terminou a prova com 2 horas, 13 segundos e 7 décimos, realizada no lago Balaton, sede do mundial além da capital Budapeste.

Arévalo terminou 3 segundos e 3 décimos mais, enquanto Bridi e Cunha quase beliscaram a prata por apenas 2 décimos.

É a nona medalha em Mundiais da brasileira. O ouro veio nos 25 quilômetros em águas abertas, em Xangai 2011 e Kazan 2015.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM