Jornal do Commercio
atletismo

Wagner Domingos não se classifica para a final do Mundial de Londres

Lançador pernambucano, Wagner Domingos participou de seu segundo Mundial na carreira nesta quarta-feira, mas não conseguiu avançar na disputa do lançamento do martelo

Publicado em 09/08/2017, às 18h40

Montanha conseguiu 71,69m como melhor marca da eliminatória / AFP
Montanha conseguiu 71,69m como melhor marca da eliminatória
AFP
Gabriela Máxima

O pernambucano Wagner Domingos não conseguiu se classificar para a final do lançamento do martelo do Campeonato Mundial de atletismo. Nesta quarta-feira, o atleta disputou a eliminatória da prova e teve como melhor marca 71,69m, terminando a etapa na 24ª colocação. O outro brasileiro na competição, Allan Wolski, também não consguiu uma vaga entre os 12 finalistas. Ele ficou na 19ª posição, com 72,51m. Para se ter uma ideia, quem avançou à decisão com a melhor marca foi o polonês Wojciech Nowicki, com 76,85m, e o italiano Marco Lingua encerrou a lista de classificados com 74,41m.



CHUVA

Wagner estava certa quando fez a análise pré-prova que previa os resultados entre 74,50m e 75m como suficientes para garantir a classificação. Na avaliação desta quarta, ele lembrou que a chuva atrapalhou seu resultado. “Por causa da chuva, eu escorreguei. Um erro que eu cometi e acabei não me classificando. Infelizmente aconteceu comigo. Eu já competi na chuva diversas vezes e nunca tive problema. Mas campeonato Mundial é diferente e eu não tive uma atuação boa”, comentou o atleta.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM