Jornal do Commercio
Voleibol

José Roberto diz que não teria problema em convocar Tiffany

Jogadora do Bauru é a primeira transgênero da Superliga Feminina de Vôlei

Publicado em 07/12/2017, às 11h37

Tiffany tem testosterona controlada, como manda regra do COI / Vôlei Bauru/Divulgação
Tiffany tem testosterona controlada, como manda regra do COI
Vôlei Bauru/Divulgação
Luana Ponsoni
esportes@jc.com.br

A semana está sendo de boas notícias para a ponteira Tiffany, de 33 anos, do Bauru. Depois de ter a contratação anunciada pelo clube paulista na última terça-feira (5) e se tornar a primeira transgênero da Superliga Feminina de Vôlei, ela ainda teve uma possível convocação  à seleção brasileira endossada pelo técnico José Roberto Guimarães. Alheio aos preconceitos envolvidos no tema, o comandante do Brasil declarou a blog especializado do Estadão que não descarta contar com Tiffany na equipe nacional. Para isso, basta que ela corresponda tecnicamente.

 "A questão é bem simples. Se a Tiffany render dentro de quadra o esperado e fizer a diferença tecnicamente falando, passa a interessar como qualquer outra atleta. Quero o melhor para a seleção. Se for o caso, irei consultar a CBV e, como a Tiffany está liberada juridicamente para jogar a Superliga, não vejo problema algum em ser convocada. Basta que ela esteja elegível", declarou.



LIBERAÇÃO

A jogadora foi liberada, em janeiro deste ano, pela Federação Internacional de Vôlei (Fivb, na sigla em inglês) para competir entre as mulheres. Para isso, Desde o ano passado, o Comitê Olímpico Internacional (COI) permite a presença de transgêneros em torneios femininos desde que estejam com a testosterona controlada. Do contrário, a atleta cai no antidoping.

De acordo com a jogadora, que procedeu com a cirurgia de mudança de sexo, seu nível de testosterona é inferior a 10, como manda  a regra. 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM