Jornal do Commercio
Rio 2016

Brasil fatura ouro e prata na bocha nos Jogos Paralímpicos

Estreante nos Jogos Paralímpicos, equipe do Brasil contou com apoio maciço da torcida para bater a Coreia do Sul, que havia ganho dos brasileiros na fase de grupos

Publicado em 12/09/2016, às 20h17

Antônio Leme, Evelyn de Oliveira e Evani Soares da Silva conquistaram o ouro da bocha BC3 ao bater a equipe da Coréia do Sul / Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Antônio Leme, Evelyn de Oliveira e Evani Soares da Silva conquistaram o ouro da bocha BC3 ao bater a equipe da Coréia do Sul
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Estadão Conteúdo

O Brasil conquistou medalhas de ouro e prata na bocha nesta segunda-feira, nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. Competindo na Arena Carioca 2, os brasileiros levaram o ouro na disputa mista da classe BC3, a que conta com atletas que apresentam as limitações mais severas.

Na final, o time brasileiro derrotou por 5 a 2 a Coreia do Sul (equipe composta por Ho Won Jeong, Han Soo Kim e Ye Jin Choi). O time nacional contou com Antonio Leme, Evani Soares da Silva e Evelyn de Oliveira. Curiosamente, o Brasil havia sido derrotado por este mesmo time sul-coreano no domingo, na disputa na fase de grupos.

Contando com o apoio maciço da torcida, os estreantes em Paralimpíadas dominaram o rival desde o início, num resultado que surpreendeu, uma vez que a equipe da Coreia do Sul é a atual número um do ranking e campeã paralímpica em Pequim-2008. 

A classe BC3 é a mais inclusiva da bocha, que já é considerada a modalidade que permite a maior participação de atletas com deficiências. Nesta classe, os atletas apresentam limitações mais severas na movimentação dos braços, pernas e tronco. Por isso, utilizam recursos como rampas e calhas para ajudar no lançamento da bola.

Em outra final disputada nesta segunda-feira, o Brasil ficou com a prata na disputa mista na classe BC4, que conta com atletas com menos limitações, capazes de lançar a bola com uma ou as duas mãos. 

Na decisão do ouro, o time brasileiro foi batido pela Sérvia por 4 a 2. Dirceu Pinto, Eliseu dos Santos e Marcelo dos Santos conquistaram a prata para o Brasil, enquanto os sérvios Samuel Andrejcik, Michaela Balcova e Robert Durkovic levaram o ouro.

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM