Jornal do Commercio
violência

Homem morto após jogo no Arruda era torcedor do Sport, diz família

Paulo Ricardo Gomes da Silva morreu na noite da última sexta-feira (2) no Estádio do Arruda, atingido por uma privada lançada das arquibancadas

Publicado em 03/05/2014, às 08h47

 / Foto: Guga Matos/JC Imagem

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Do JC Online
Com informações da Rádio Jornal

Atualizada às 11h03

A família do torcedor Paulo Ricardo Gomes da Silva, de 25 anos, esteve na manhã deste sábado (3) no IML para liberar o corpo. Ele morreu na noite da última sexta-feira (2) no Estádio do Arruda, atingido por uma privada lançada das arquibancadas.

Três pessoas ficaram feridas pelos estilhaços da privada e foram levadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) dos Torrões, na Zona Oeste do Recife. Vanderson Wilderlan Gomes Alves, de 22 anos, deu entrada com um ferimento na cabeça. Na manhã de hoje, ele estava na área amarela da unidade acompanhado da namorada. Segundo a direção da UPA, Vanderson deve ter alta ainda hoje, pois o quadro é estável.

As outras duas vítimas foram conduzidas para o Hospital Getúlio Vargas, no Cordeiro. José Adrien Ferreira de Lima, 21, foi atendido na emergência com uma fratura na tíbia, mas já passa bem. Tarkini Cauã Gonçalves de Araújo, 20, também foi atendido na emergência, onde recebeu diagnóstico estável, mas foi transferido para um hospital particular.

A esposa do tio da vítima, Sueni Valdevino, conversou com a imprensa e confirmou que o rapaz era torcedor do Sport, embora não fosse filiado a torcida organizada. Paulo Ricardo era caldeireiro e trabalhava no Estaleiro Atlântico Sul, noPorto de Suape, em Ipojuca.

A noiva da vítima, a técnica em laboratório Amanda França, 27, negou que seu noivo estivesse usando uma camisa do Paraná. "Segundo o pai dele, ele usava uma camisa verde sem identificação", disse à Rádio Jornal.

A noiva também confirmou que Paulo Ricardo postou em redes sociais uma foto sua usando uma faixa do Paraná. Ela disse que as torcidas de Paraná e Sport são parceiras.

Paulo Ricardo (esq.) morreu atingido por uma privada lançada das arquibancadas do Arruda - Foto: Reprodução do Facebook

Apesar da família assegurar que Paulo Ricardo não era afiliado às organizadas, o rapaz tinha algumas fotos em seu perfil do Facebook trajando o uniforme da Torcida Jovem do Sport (TJS). Em uma das imagens, ele foi fotografado ao lado de dois rapazes, fazendo um símbolo geralmente ligado à TJS, os braços cruzados para cima. No abdômen de Paulo, havia uma tatuagem com o símbolo do Sport.

A polícia disse que Paulo assistiu ao jogo de ontem, entre Santa Cruz e Paraná, pela Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro. O rapaz teria visto a partida na torcida do clube paranaense e chegou a fazer uma foto exibindo a bandeira da organizada Fúria. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa está investigando o caso.

VIOLÊNCIA - Este é mais um episódio trágico do futebol local neste ano. Brigas entre torcidas organizadas são corriqueiras, além de depredações e arrastões.

Em 2014, esta é a primeira morte ligada ao futebol pernambucano. “Acredito que o vaso sanitário tenha sido atirado do setor da arquibancada onde estava a torcida do Santa Cruz”, avaliou um policial militar que atendia a ocorrência.

É comum nos estádios pernambucanos episódios em que vândalos arrancam privadas dos banheiros e atiram de cima das arquibancadas, sobretudo nos clássicos entre Sport, Náutico e Santa.

A polícia tem montado operações de guerra para tentar evitar a violência.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM