Jornal do Commercio
Finalmente

Gabriel Vallés e os 126 dias para ''estrear'' no Santa Cruz

Lateral está desde setembro no Santa, mas só fez sua ''estreia'' na última terça (10)

Publicado em 11/01/2017, às 14h36

Pisano (E) ajudou Vallés (D) a superar espera no Santa Cruz / Diego Nigro/JC Imagem
Pisano (E) ajudou Vallés (D) a superar espera no Santa Cruz
Diego Nigro/JC Imagem
Diego Toscano
Twitter: @diegobmtoscano

Ninguém estava mais ansioso para usar a camisa do Santa Cruz em 2017 do que Gabriel Vallés. O lateral, que chegou ao clube em setembro do ano passado, fez sua "estreia" pelo Tricolor do Arruda na última terça (10), na vitória por 3x0 sobre a AGAP-PE. Após 126 dias de espera, o argentino marcou até um dos gols da vitória do clube no estádio Grito da República, em Olinda.

Vallés chegou ao Recife no dia 6 de setembro. Fez seu primeiro treino na Arena de Pernambuco, onde o Santa Cruz enfrentaria a Chapecoense, no dia seguinte. Porém, como era uma transferência internacional, não conseguiu ser regularizado até o dia 16, data-limite para o atleta aperecer no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Com isso, ficou cinco meses no Santa treinando com os jogadores que não eram relacionados para as partidas.

"Passei muito tempo treinando (em 2016), e agora pude ficar para a temporada. Acho que este ano vai ser muito bom para o Santa. É um time grande e que tem uma torcida apaixonada", afirmou o argentino, que relatou a angústia de passar mais de cinco meses só treinando na Cobra Coral.

"Fiquei muito triste porque, no ano passado, principalmente pela situação do clube (rebaixamento na Série A), eu queria jogar. Naquela época, Pisano (meia argentino que estava no Santa no ano passado) me ajudou muito", complementou o jogador.

POLIVALENTE

Ambidestro, Vallés pode atuar pelos dois lados como ala. Na esquerda, terá a concorrência de Tiago Costa e Roberto. Pela direita, brigará pela titularidade com Vítor e Nininho. O argentino também joga na cabeça de área. Mesmo sendo polivalente, o argentino tem preferência por uma função. 

“Gosto de jogar pela direita, primeiro defendendo para depois atacar. Mas fiz muitos jogos pela esquerda na Argentina. Independente da posição, temos bons jogadores e a disputa (pela titularidade) vai ser sadia”, disse.

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM