Jornal do Commercio
Rivalidade

Santa Cruz e Sport fazem reencontro para uma nova história no Clássico

Após 2016 intenso, rivais protagonizam primeiro Clássico das Multidões de 2017

Publicado em 17/02/2017, às 06h08

Primeiro Clássico das Multidões de 2017 é marcado por muita rivalidade / Guga Matos/JC Imgem
Primeiro Clássico das Multidões de 2017 é marcado por muita rivalidade
Guga Matos/JC Imgem
Diego Toscano e Felipe Holanda
esportes@jc.com.br

Depois de um ano passado movimentado (foram oito encontros no total), Santa Cruz e Sport buscam reescrever uma nova página do Clássico das Multidões em 2017. Se os tricolores levaram a melhor no Campeonato Pernambucano (ficaram com o título) e na Copa Sul-Americana (eliminaram o rival da competição continental), os rubro-negros deram o troco com duas vitórias na Série A do Campeonato Brasileiro, dentro e fora de casa. 

Amanhã, os eternos rivais protagonizam um novo capítulo da história centenária de rivalidade. Segundo o prata-da-casa Everton Felipe, que recentemente renovou seu contrato até 2022, o Leão vai para o duelo contra a Cobra Coral como favorito. “O Sport é o favorito. Com todo respeito ao Santa, mas não podemos fugir da responsabilidade pelo elenco que temos e por estarmos na Série A. Temos que nos impor e vamos fazer isso dentro de campo para sair com a vitória”, justifica o meia do rubro-negro pernambucano. 

Além disso, o camisa 97 mostrou personalidade e afirmou que não se sentirá intimidado com a forte marcação do Santa Cruz no clássico de sábado. “Se eles vierem para cima dar porrada, vou levantar e ir para cima deles de novo. Eles estão dizendo que vão dar a resposta dentro de campo, mas a gente também vai jogar. São 11 contra 11. Estou brincando e tirando onda e vou continuar. Dei minha cara a tapa e, se o resultado negativo vier, tenho que abaixar a cabeça e escutar. Se eu gosto de brincar, também tenho que aceitar. Mas isso não vai acontecer”, garantiu. 

No Santa Cruz, não existe clima de rivalidade pelas derrotas do Brasileirão de 2016. “O que passou ninguém tem como voltar atrás. Não fomos rebaixados nesses dois jogos, então não tem porque estarmos ‘engasgados’ (com o Leão). Não podemos jogar a carga do que passouno segundo semestre de 2016 em todos que chegaram. Agora é outra história”, afirmou o lateral Vítor.

VITÓRIA DA CONFIANÇA 

Mesmo assim, o Tricolor do Arruda dá muita importância a partida. “Clássico sempre é bom vencer. Pro clube e pro torcedor vale muito, apesar de estar em jogo os mesmos três pontos de outras partidas. Pela confiança e pela moral, é importante vencer o Sport”, explicou o goleiro Julio Cesar.

Perguntado sobre as declarações do meia Everton Felipe, que vive “cutucando” os corais nas redes sociais e em entrevistas, o goleiro preferiu adotar um tom mais conciliador. “Ouvi algumas declarações dele. É um menino e ainda vai aprender que isso não leva a nada. Admiro as posturas de outros jogadores do Sport, como Magrão e Durval, que são respeitosos com qualquer adversário. O que importa pra gente é o jogo. A gozação fica pra torcida”, finalizou Julio.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM