Jornal do Commercio
Confiança

"Saí de um time grande para outro", afirmou novo volante do Santa Cruz

Uruguaio Federico Gino elogiou o novo clube e falou da relação com o Recife

Publicado em 04/03/2017, às 06h02

Goleiro Jacsson e volante Gino foram apresentados pelo clube na última sexta (3) / Diego Toscano/JC
Goleiro Jacsson e volante Gino foram apresentados pelo clube na última sexta (3)
Diego Toscano/JC
Diego Toscano
Twitter: @diegobmtoscano

Depois de uma negociação demorada, com quase um mês entre o primeiro contato e a oficialização do contrato, Federico Gino finalmente foi apresentado pelo Santa Cruz, na última sexta (3), no Arruda. Regularizado, o volante uruguaio trata a passagem na Cobra Coral como a grande chance de voltar a aparecer no futebol.

“Venho aqui para tentar evoluir no Santa, um time forte no Nordeste. É um passo enorme na minha carreira. Não vim só porque não estava tendo chances no Cruzeiro. Saí de um time grande para outro”, explicou Gino.

Além de uruguaio, o volante tem mais dois países como pátria. Nascido em Uruguaiana (RS), mudou-se para o Uruguai bem cedo. Já adulto, naturalizou-se italiano por influência da família. “Nasci no Brasil e fui morar no Uruguai com um ano. De italiano, tenho meu avô que é de lá. Tenho três nacionalidades”, disse.

RECIFE

Há pouco mais de uma semana no Recife, Gino só tem elogios para a capital pernambucana. “O Recife é muito bom de morar. Uma cidade muito boa. Aqui, ainda tenho a ajuda dos companheiros (Gabriel Vallés e Facundo Parra, ambos argentinos) para me adaptar melhor. Estou sentindo uma energia muito bacana”, finalizou o jogador.

Recomendados para você


Comentários

Por Paulo,04/03/2017

Saí de um time grande para outro", afirmou novo volante do Santa Cruz. SEM COMENTÁRIOS



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM