Jornal do Commercio
Nordestão

Santa Cruz cauteloso após mudanças no Náutico

Troca de técnico e no estilo de jogo preocupam o Tricolor do Arruda

Publicado em 09/03/2017, às 06h12

Equipes se enfrentaram pela última vez no dia 4 de fevereiro, no Arruda / Diego Nigro/JC Imagem
Equipes se enfrentaram pela última vez no dia 4 de fevereiro, no Arruda
Diego Nigro/JC Imagem
Diego Toscano
Twitter: @diegobmtoscano

Após mais de um mês do último Clássico das Emoções, muita coisa mudou. No início do ano, o Náutico entrou com uma certa vantagem por ter começado a treinar com todo o grupo antes da Cobra Coral e por ter mantido parte da base. Já o Tricolor do Arruda começou 2017 do zero, com 17 contratações. Mesmo assim, foi o Santa que comemorou, com uma vitória e um empate nos dois primeiros duelos da temporada. Agora, os papéis se inverteram.

Hoje, quem tem um time titular mais bem definido é o Santa Cruz, com quatro jogadores que atuaram em todas as partidas de 2017 (o goleiro Julio Cesar, o lateral Vítor, o zagueiro Bruno Silva e o volante David). Além disso, tem o atacante Halef Pitbull em grande fase, com cinco gols em sete jogos.

Já no Timbu, a principal peça da temporada foi trocada: o técnico. Saiu Dado Cavalcanti e entrou Milton Cruz. Logo no começo do trabalho, conseguiu segurar o Sport na Ilha do Retiro e venceu na Arena de Pernambuco. Mesmo com a troca de técnico e a situação ruim na tabela do Nordestão, os tricolores não acreditam em moleza contra o Náutico.

FALA, EVERTON!

“Por mais que tenham trocado o treinador, os jogadores de lá se conhecem há mais tempo, porque o grupo não mudou. Já no Santa ainda estamos nos entrosando, apesar dos resultados estarem vindo. Conforme o tempo vai passando, a tendência aqui é melhorar”, finalizou Everton Santos.

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM